A miopia do líder frente ao governo Michel Temer

O senador Humberto Costa foi cooptado na metade de sua carreira política pela ala demagógica do PT

TRE-PETRE-PE - Foto: Divulgação

O senador Humberto Costa construiu sua carreira política em Pernambuco sem fazer concessões à demagogia. Mesmo quando disputou eleições para “marcar posição” - exigência do PT para revelar quadros políticos - costumava encarar os fatos com bom senso e equilíbrio. Até porque em nosso Estado político demagogo tem vida curta. No Senado, como líder do governo Dilma, lutou destemidamente para preservar o mandato dela. Mas perdeu a batalha para a maioria dos brasileiros, que cobrava dos congressistas o seu afastamento. Agora, no entanto, como líder da bancada petista no Senado, Costa virou outro político. Opõe-se a todo e qualquer tipo de iniciativa do governo Michel Temer, mesmo que ela esteja no caminho certo, como o ajuste das contas públicas e as reformas fiscal, trabalhista e previdenciária. É uma pena que um quadro tão qualificado tenha sido cooptado no auge da carreira pela ala mais demagógica do PT.

O senador Humberto Costa foi cooptado na metade de sua carreira política pela ala demagógica do PT

Empurrão nos “Bolsonaro”
O PT foi o partido que mais lutou em 1992 para derrubar Collor da Presidência, embora depois tenha se negado a participar do governo Itamar Franco. Resultado: ficou isolado no Congresso e perdeu as duas eleições seguintes para FHC, ambas no 1º turno. Hoje, mesmo que o governo Temer não dê certo, dificilmente o PT voltará. Sua miopia política em relação ao atual governo só favorece os “Bolsonaro” da vida.

Acerto > Sílvio Costa tem tido uma postura correta na Câmara Federal. Foi vice-líder do governo Dilma e faz oposição ao governo Temer. Mas isso não o impediu de votar a favor da PEC-241 porque ela já era defendida, diz ele, pelos ex-ministros de Dilma Joaquim Levy e Nélson Barbosa (Fazenda).
Código > O prefeito reeleito de Garanhuns Izaías Régis (PTB) enviou à Câmara Municipal uma proposta de revisão do Código Tributário que reajusta taxas, alvará de “habite-se”, aluguéis de boxes, etc.

Vitória > Professor Lupércio (SD) venceu Antonio Campos (PSB) nas quatro zonas eleitorais de Olinda, sendo sua vitória mais folgada no bairro de Rio Doce, onde mora há mais de 20 anos: 13.714 votos.
Torcida > Comerciantes e empresários de Vitória de Santo Antão estão torcendo para que o prefeito eleito Aglailson Júnior (PSB) escolha um secretariado “técnico” como fez o atual Elias Lira (PSD).

Condenação >
Célio Avelino está no rol dos criminalistas que acusam a maioria dos ministros do STF de terem “rasgado” a Constituição pela confirmação da tese de que condenados em 2ª instância já devem começar a cumprir pena de prisão, mesmo que tenham entrado com recurso na terceira.
Desafio > Único prefeito de capital eleito pelo PSB no 1º turno, Carlos Amastha (Palmas) não esquentou a cabeça com o mandado de busca e apreensão que encontrou em sua residência cerca de R$ 100 mil em espécie. “Se provarem que sou corrupto”, disse ele, “não tomarei posse no dia 1º de janeiro”.

Memória >
Édson Moura, ex-prefeito de Tabira e ex-deputado estadual, vai inaugurar um museu em Afogados da Ingazeira (dia 19) para preservar a memória da região. E fazer o lançamento de dois livros: “Fragmentos de uma vida” e “Casos e acasos - Fatos e momentos que marcaram minha vida”. A veia literária ele herdou do pai, Severino Moura, nascido em Cortês, que escreveu 9 livros, um dos quais sobre usinas e senhores de engenho.

 

Veja também

'Digam a meus filhos que amo eles', as últimas palavras da brasileira vítima de ataque em Nice
França

'Digam a meus filhos que amo eles', as últimas palavras da brasileira vítima de ataque em Nice

Dia de luta contra o reumatismo é lembrado no país nesta sexta-feira
Reumatismo

Dia de luta contra o reumatismo é lembrado no país nesta sexta