A vez dos investimentos em P&D de softwares

Em busca de mais competitividade, gastos no segmento aumentaram 65% entre 2010 e 2015

Líder da Oposição na Alepe, Silvio Costa Filho (PRB)Líder da Oposição na Alepe, Silvio Costa Filho (PRB) - Foto: Roberto Soares/Alepe

 

Os investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de novos softwares chegarão a 24% do orçamento em pesquisa até o final da década (um crescimento de 43% desde 2010). De 2010 a 2015, os gastos aumentaram 65%, de US$ 86 bilhões para US$ 142 bilhões. Segundo a 12ª edição do Global Innovation 1000, estudo elaborado pela Strategy&, consultoria da PwC, as empresas com maior crescimento de receita investiram 25% a mais no orçamento de P&D para novos softwares do que as empresas que tiveram crescimento mais lento. No caminho inverso, o desenvolvimento de novos produtos físicos, que chegavam a 46% dos dispêndios das companhias em 2010, chegou a 41% em 2015 com previsão de cair para 37% em 2020. A explicação para esta mudança deve-se à natural tendência da digitalização dos serviços e produtos, além da necessidade de modelos competitivos. As empresas analisadas no estudo investiram, em conjunto, US$ 679,8 bilhões, uma variação de 0,04% em relação ao ano passado. O grupo analisado - de mil companhias públicas em todo o mundo - foi responsável por 40% do investimento global em P&D no último ano fiscal, encerrado em junho.
Em busca de mais competitividade, gastos no segmento aumentaram 65% entre 2010 e 2015.

Fábrica da Ericsson pode fechar
“A Suécia fechou fábricas e não tem mais produção. Depois que perderam três mil empregos, por que o sueco vai se preocupar com 1,5 mil empregos no Brasil? Acho muito difícil convencer a manter a fábrica no País e não demitir nossos 1,5 mil. Me apoio na Lei de Informática para continuar defendendo essa manutenção, mas sem ela, será difícil defender”. A afirmação foi de Sérgio Quiroga, presidente da Ericsson para a América Latina e Caribe, sobre a possibilidade de o País perder a disputa na OMC em relação à Lei de Informática já no ano que vem.

LEI DA INFORMÁTICA > O risco de extinção de benefícios fiscais da Lei de Informática pode representar o fim da manufatura no País. Esse é o pensamento de boa parte dos gestores das fabricantes de equipamentos de telecomunicações que operam no Brasil. A lei, que dá incentivos à produção local de equipamentos eletrônicos de telecomunicações em troca de investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D), vem sendo questionada na Organização Mundial do Comércio (OMC).

INCENTIVO AMEAÇADO >
Além dos questionamentos levantados pela Organização, existem indicações para a revisão desse tipo de incentivo pelo governo Michel Temer. Muitos executivos da área de TI levantam a necessidade da elaboração de uma política industrial para telecom no Brasil. Sem ela, “não vale o risco”, avaliam.

SÉRIES > A Netflix ganhou 3,57 milhões de usuários no terceiro trimestre de 2016. Com isso, a empresa atingiu os 86,74 milhões de usuários, resultado 50% acima da expectativa.

NOVA CAMPANHA > Para a alegria dos fãs de um dos games mais famosos do planeta , a turma do Super Mario está de volta aos restaurantes McDonald’s. Mario, Luigi, Princesa Peach, Yoshi e companhia protagonizam a nova campanha do McLanche Feliz, que estreia no dia 2 de novembro em todo o País.

FACEBOOK > “Vamos começar a permitir mais conteúdos que as pessoas avaliem ter um valor informativo, sejam significativos ou importantes para o interesse geral” (Comunicado dos vice-presidentes do Facebook, Joel Kaplan e Justin Osofsky).

 

Veja também

OMS considera que pandemia do coronavírus ainda pode ser controlada
Coronavírus

OMS considera que pandemia do coronavírus ainda pode ser controlada

Gucci doa 1,6 milhões de reais para combate à Covid-19 no Brasil
Roberta Jungmann

Gucci doa 1,6 milhões de reais para combate à Covid-19 no Brasil