POLÍCIA

Abby Moreira, primeira mulher trans a ser guarda municipal, morre aos 46 anos em Jaboatão

De acordo com a prefeitura, laudo indica que a morte de Abby foi por conta de um mal súbito

Abby Moreira assumiu cargo na prefeitura em 2017Abby Moreira assumiu cargo na prefeitura em 2017 - Foto: Reprodução

Primeira mulher trans a assumir um cargo de guarda municipal no Brasil, em 2017, Abby Moreira, que era servidora da Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, morreu, no último sábado (24).

De acordo com a prefeitura, laudo indica que a morte de Abby foi por conta de um mal súbito.

Abby Moreira morreu em casa. A família afirmou que ela se levantou durante a noite para tomar água, voltou a dormir e não acordou mais. O enterro da servidora ocorreu no domingo (25), no Cemitério Parque da Paz, bairro da Muribeca, em Jaboatão. 

A Prefeitura de Jaboatão lamentou a morte da servidora, que estava cedida à Secretaria de Direitos Humanos

"Abby destacou-se não só por ter sido a primeira guarda municipal trans de Pernambuco, mas por ter encampado uma causa social. Aos familiares e amigos, a nossa solidariedade e que Abby descanse em paz", afirmou a gestão municipal.

A gestão municipal ainda colocou as secretarias de Assistência Social e Direitos Humanos para prestar todo apoio à família. 

A ONG Arco, eleita para o Conselho LGBTQIAP+ de Jaboatão dos Guararapes, no começo de junho, também lamentou a morte de Abby Moreira:

Lamentamos profundamente a partida súbita e repentina da companheira Abby Moreira. O movimento LGBTQIAP+ com toda certeza sofreu um golpe sem precedentes. Abby era resistência e sua história inspirou e continuará inspirando milhares de pessoas por todo o Brasil. Os integrantes da Arco, representados na pessoa do presidente Carlos Santos, expressam publicamente seu luto em respeito a memória de Abby Moreira e de toda sua luta e representatividade para o movimento LGBTQIAP+.

A ONG Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero afirmou que Abby "foi uma figura extraordinária e uma ativista incansável na luta pelos direitos da população LGBTQIA+". Confira a íntegra:

A ONG Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero vem, por meio desta nota, lamentar profundamente o falecimento de Abby Moreira, ocorrido no último sábado (24), em Jaboatão dos Guararapes. Abby foi uma figura extraordinária e uma ativista incansável na luta pelos direitos da população LGBTQIA+.

Conquistou seu lugar na história ao se tornar a primeira mulher trans a assumir o cargo de guarda municipal no Brasil, em 2017. Sua coragem e determinação abriram caminho para outras pessoas trans ingressarem em posições de destaque e representatividade.

Infelizmente, Abby teve de enfrentar inúmeros desafios, sendo o maior deles a transfobia institucionalizada dentro da corporação - que tantas vezes denunciou através de sua militância no movimento LGBTQIA+. 

Parte de sua trajetória foi compartilhada conosco em 2017, quando participou da campanha "Gestos pela Igualdade" - a primeira realizada no Brasil para tratar sobre os direitos das pessoas trans e travestis junto ao Poder Judiciário. Na ocasião, ela contou como foi o percurso até conseguir viver sua identidade de gênero e os desafios que enfrentou ao longo de sua história.

“No momento em que muitas pessoas trans e travestis ainda tinham muito medo de se expor e falar sobre suas próprias vidas e como a ausência da garantia de direitos as atravessavam, ela teve a coragem de colocar o seu rosto e estampar uma campanha que circulou em todo o estado de Pernambuco para sensibilizar operadores e operadoras do Direito sobre a importância de respeitar e promover os direitos e a cidadania das pessoas trans e travestis", comenta a coordenadora geral da Gestos, Alessandra Nilo. “Tenho certeza que a coragem dela, ao longo de toda a sua trajetória inspirou muita gente e continuará inspirando muito mais”, conclui.

Abby será sempre lembrada por sua força, perseverança e dedicação em promover a igualdade e a inclusão. Seu legado de coragem e ativismo continuará inspirando a luta pelos direitos humanos. 

Neste momento de profunda tristeza, expressamos nossos mais sinceros sentimentos à sua esposa, com quem era casada há 28 anos, ao seu filho e todos/as os/as familiares e amigos/as. Que encontrem conforto e força para enfrentar essa perda irreparável. 

Sua mensagem de igualdade e seu desejo de mudar o mundo continuarão a nos guiar na busca por uma sociedade mais justa e inclusiva. Abby Moreira, presente.

 

Veja também

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens
FOLHA PET

Cachorro mais alto do mundo é reconhecido pelo "Guinness"; veja altura e imagens

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador
Tragédia

Deslizamento de terra deixa seis mortos em zona turística do Equador

Newsletter