Abrigo de animais realiza bazar para arrecadar fundos

Lucro do espaço será destinado à compra de ração e demais cuidados para os cães e gatos da casa de passagem da ONG Eu Amo Animais

O Ativista animal Elpídio Araújo esbarra diariamente nos desafios para a manutenção dos 102 animaisO Ativista animal Elpídio Araújo esbarra diariamente nos desafios para a manutenção dos 102 animais - Foto: Julya Caminha/Folha de Pernambuco

Um trabalho árduo, mas necessário. A missão assumida pelo ativista animal Elpídio Araújo, 48 anos, esbarra diariamente nos desafios para a manutenção dos 102 animais presentes na casa de passagem da ONG Eu Amo Animais, no Recife. Mensalmente, são utilizados 300 quilos de ração para a alimentação dos 89 gatos e 13 cães resgatados da rua em situação de extrema vulnerabilidade ou deixados na porta do espaço para a adoção. No entanto, o número de saídas é desproporcional ao de chegadas. Só no último mês, apenas sete pets foram adotados.

Ao longo dos cinco anos de atuação da ONG, mais de 400 animais passaram pelo abrigo. A atividade é mantida graças às doações de parceiros, pessoas solidárias que acompanham o trabalho pelas redes sociais e amigos de Elpídio. Quando as colaborações estão escassas, ele precisa tirar do próprio bolso o dinheiro para o alimento. Cada saco, contendo 25 quilos, custa de R$ 100 a R$ 130. Por isso, desde o último dia 3, o brechó Bicharada Carente foi reaberto na rua da Aurora, nº 127, loja 104, no bairro da Boa Vista. O local, próximo ao Cinema São Luiz, funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Leia também:
Cães auxiliam o aprendizado de estudantes em Olinda 
Tutores de cães são mais felizes que os de gatos, mostra pesquisa

Além das peças de roupas novas e seminovas, estão disponíveis CD’s e vinis, livros, porta-retratos, sandálias, pelúcias e até objetos para decoração do lar. Os valores variam entre R$ 5 e R$ 50. “É importante manter a esperança de que não falte ração para os nossos animais. Com o arrecadado no bazar, esperamos pagar o aluguel [do espaço], comprar a ração dos bichinhos que cuidamos e também fazer doações para outras ONG’s e abrigos”, considera o ativista.

Interessados em colaborar podem procurar o endereço do brechó para realizar a doação de produtos para os animais. Parceira no trabalho, a defensora Raquel Monteiro, 47, cedeu o nome “Bicharada Carente” para a organização do bazar. Entre os anos de 2010 e 2014, ela abriu um espaço com o mesmo nome na rua Santa Cruz, no mesmo bairro, para promover os cuidados de animais de rua que estivessem doentes ou prenhas. “Nesse período cuidei de 440 animais. Funcionou e tive muita ajuda, mas, por causa de um problema pessoal, resolvi fechar. Quando encontrei Elpídio juntamos o que tínhamos e decidimos montar o espaço”, conta Raquel. “O que a gente mais precisa hoje é o público. Que venham conferir o espaço, comprar e doar”, conclui.

Veja também

Câmara Baixa do Parlamento russo ratifica extensão do tratado nuclear New START
PRAZO

Câmara Baixa do Parlamento russo ratifica extensão do tratado nuclear New START

Governo do Maranhão desiste de suspender pequenos eventos
Coronavírus

Governo do Maranhão desiste de suspender pequenos eventos