Academia militar põe mulheres para formação de combate

Oficiais dedicadas ao combate poderão chegar ao topo da carreira, em quatro décadas

Exército já tem presença feminina na organização desde 1990, mas restrita a áreas de apoioExército já tem presença feminina na organização desde 1990, mas restrita a áreas de apoio - Foto: Divulgação/Agência Brasil

A Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) deu início nessa terça-feira (5) à formação de combate da primeira turma de cadetes com presença de mulheres.

A solenidade de início dos cursos específicos das sete armas do Exército (Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia, Intendência, Comunicações e Material Bélico) marcou uma quebra de paradigma na escola responsável pela preparação de todos os oficiais do Exército brasileiro: em aproximadamente 40 anos, uma dessas mulheres poderá ser a primeira general de quatro estrelas do Brasil. O comandante da Academia, general Gustavo Henrique Dutra, classificou a data como "histórica" em discurso de saudação às novas turmas.

Leia também:
Preso cabo do Exército suspeito de desviar armas e munições
'É proibido fazer proselitismo político' nas Forças Armadas, diz comandante do Exército
Tenente do Exército é morto em tentativa de assalto em São Gonçalo

O Exército já tem presença feminina na organização desde os anos 1990, mas restrita a áreas de apoio. Profissionais de áreas administrativas só podem chegar à patente de coronel; oficiais médicas tem como horizonte máximo general de três estrelas. As oficiais dedicadas ao combate poderão chegar ao topo da carreira, em quatro décadas.
A Aman recebeu no ano passado a primeira turma com 10% de mulheres do total de 450 cadetes.

No próximo sábado (9), começa o primeiro ano da segunda turma com presença feminina. Depois de um primeiro ano de estudos genéricos, a partir do segundo ano tem início a formação específica das Armas. Por enquanto, mulheres só podem se dedicar a Intendência e Material Bélico.

Veja também

Kamala Harris renuncia ao Senado para tomar posse como vice-presidente
Política norte-americana

Kamala Harris renuncia ao Senado para tomar posse como vice-presidente

Guatemala usa gás para dispersar imigrantes hondurenhos em direção aos EUA
Imigração

Guatemala usa gás para dispersar imigrantes hondurenhos em direção aos EUA