A-A+

Ação no Metrô orienta sobre cuidados com crianças e adolescentes no Carnaval

Entre as recomendações está a de marcar um ponto de encontro para o caso de alguém se perder

A ação acontece na Estação Recife, no bairro bairro de São JoséA ação acontece na Estação Recife, no bairro bairro de São José - Foto: Isabelle Barbosa / Portal FolhaPE

Passageiros que circulam na manhã desta segunda-feira (17) pela Estação Recife, no bairro de São José, área central da Capital pernambucana, estão recebendo orientações sobre como evitar o desaparecimento de crianças e adolescentes durante o período de Carnaval.

A ação é realizada por uma equipe de agentes do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), que distribui panfletos, pulseiras e conversa com a população, alertando os cuidados que pais e responsáveis devem ter ao levar crianças e adolescentes para a folia.

Leia também:
DPCA orienta pais sobre segurança das crianças durante o Carnaval
Foliões aproveitam último domingo antes do Carnaval em Recife e Olinda
Ônibus especiais levam foliões ao Galo e ao Bairro do Recife no Carnaval


Entre as recomendações está a de ensinar à criança o seu nome completo, endereço e telefone dos pais ou responsáveis. Se for a evento em lugares de grande circulação de gente, é recomendado também marcar um ponto de encontro para o caso de alguém se perder. Outra medida fundamental junto aos pequenos é ensinar a eles o número 190, correspondente às emergências policiais.

Segundo a chefe da unidade de prevenção e escuta especializada do DPCA, Giselly Pereira, também serão distribuídas pulseiras de identificação em postos da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado, montados durante o Carnaval no Bairro do Recife e em Olinda, na Região Metropolitana da Capital.

“A criança vai receber uma pulseira de identificação no local, mas os próprios pais podem confeccionar uma com telefone e nome dos responsáveis, além do nome da criança ou do adolescente”, contou.

Ainda de acordo com Giselly, as crianças ou adolescente que se perderem dos responsáveis devem procurar os postos indicados, que irão encaminha-los ao DPCA.
Segundo a assessora do DPCA, Luciana Álvaro, além das crianças, todo adolescente de 11 a 17 anos teve estar sempre acompanhando por um adulto e ambos devem portar documento de identificação.

“Os jovens acima de 18 anos não devem aceitar nenhuma carona de estranhos e, se pegar transporte por aplicativo, a recomendação é compartilhar a localização”, afirmou.

A doméstica Ana Lúcia Pereira, 48, que estava na Estação Recife com a neta Priscilla Marina Pereira, de três anos, recebeu dicas da equipe da DPCA e falou que já mantém alguns dos cuidados com todas as crianças da família.

“A gente está sempre orientando. Eu recomendo que eles não aceitem nada de gente estranha. É preciso ter muito cuidado nas crianças e não confiar em todo mundo para não ser surpreendida”, alertou.

Veja também

Americanos e europeus se preocupam com programa de armamento norte-coreano
Mundo

Americanos e europeus se preocupam com programa de armamento norte-coreano

Senado aprova antecipação das metas de redução de gases em 5 anos
Meio Ambiente

Senado aprova antecipação das metas de redução de gases em 5 anos