Ação promove emissão de documentos no Hospital Oswaldo Cruz

No total foram realizados 40 atendimentos para certidões e 20 para emissões de identidades

Ação foi promovida pela Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH) e pela Secretaria de Defesa Social (SDS)Ação foi promovida pela Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH) e pela Secretaria de Defesa Social (SDS) - Foto: Caio Danyalgil/Folha de Pernambuco

Pacientes do Grupo de Ajuda a Criança Carente com Câncer em Pernambuco (GAC/PE) receberam na manhã desta terça-feira (24) no Hospital Oswaldo Cruz, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, documentos emitidos gratuitamente.

A ação promovida pelo Balcão de Direitos, vinculado à Secretaria Executiva de Direitos Humanos (SEDH) e à Secretaria de Defesa Social (SDS), levou para as crianças atendidas e seus familiares serviços gratuitos para a emissão de segundas vias de certidões de nascimento, casamento, óbito e documentos de identidade. No total foram realizados 40 atendimentos para certidões e 20 para emissões de identidades.

Leia também:
Pacientes especiais têm calendário de vacinação atualizado
Secretaria do Turismo de Pernambuco apresenta nova identidade visual
Paciente com câncer apresenta melhora após receber visita do seu animal de estimação

Segundo a gerente do programa Balcão de Direitos, Neide Andrade, a ida do projeto ao Hospital Oswaldo Cruz teve o objetivo de atualizar a documentação dos atendidos pelo GAC, para que, ao solicitarem os benefícios estaduais e federais, eles possam dar maior celeridade no processo do requerimento dos benefícios.

“Essas vagas já são direcionadas para os pacientes. Essa é a nossa segunda ação no Hospital neste ano. Atendemos pela demanda do setor de serviço de serviço social que realiza uma triagem para contabilizar as pessoas e os serviços necessários”. Ela contou ainda que os documentos devem ficar prontos em até 30 dias. “Todos os pacientes serão beneficiados e outras ações como essa podem acontecer ainda este ano para que outras pessoas possam ser atendidas.

O paciente do GAC Severino Freitas da Silva, de 49 anos, perdeu os documentos durante uma enchente no município onde mora, em Surubim, no Agreste. Ele contou que se não fosse o programa gratuito teria um custo muito alto para retirar as vias da documentação. “Eu não teria condições de pagar. E como estou toda semana aqui para realizar tratamento, é muito mais fácil e econômico. É uma ação muito bonita”, contou.

Veja também

Estudos feitos no Nordeste analisam resposta imune à Covid-19
Coronavírus

Estudos feitos no Nordeste analisam resposta imune à Covid-19

MPPE contesta soltura de policial penal envolvido em briga com major
Justiça

MPPE contesta soltura de policial penal envolvido em briga com major