A-A+

"Acredito em sabotagem", diz Witzel sobre água contaminada

Para ele, problema pode ter ligação com leilão da Cedae

Governador do Rio de Janeiro, Wilson WitzelGovernador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel - Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Wilzon Witzel, disse nesta segunda-feira (20) que acredita que os problemas no fornecimento de água no Rio de Janeiro foram causados por sabotagem na Companhia Estadual de Águas e Esgotos.

Witzel esteve na inauguração do programa Segurança Presente, em Copacabana, e disse que a suspeita está sendo apurada pela Polícia Civil, que chegou a ouvir funcionários da companhia e foi à Estação de Tratamento de Água do Guandu, na semana passada.

"Eu, particularmente, não acredito [em incompetência]. Eu acredito e está sendo apurada uma sabotagem, por conta do leilão. Há muitos interesses envolvidos nesse leilão. Pedi à policia que apurasse", disse o governador.

Leia também:
Água usada na produção de cerveja em MG estava contaminada, diz ministério
Historiadora lança livro com a primeira fotografia do Rio de Janeiro


O leilão a que ele se refere é a privatização da Cedae, que o governo do estado pretende realizar ainda neste ano, concedendo grande parte dos serviços da companhia, que atende 64 dos 92 municípios do estado, incluindo a capital.

Desde a primeira semana do ano, cariocas têm reclamado de alterações de gosto, cheiro e cor na água que chega às residências. Segundo a Cedae, uma substância produzida por algas chamada geosmina deixou a água com gosto e cheiro de terra, mas sem prejuízos à saúde.

Veja também

Comissão aprova texto-base da PEC dos precatórios, que dribla o teto de gastos
PRECATÓRIOS

Comissão aprova texto-base da PEC dos precatórios, que dribla o teto de gastos

Butantan mostra a dinâmica de introdução do novo coronavírus no Brasil
Coronavírus

Butantan mostra a dinâmica de introdução do novo coronavírus no Brasil