Rússia

Adesão da Finlândia e Suécia à OTAN teria 'consequências', alerta Moscou

Afirmação partiu do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em resposta à Helsinque e Estocolmo

Presidente russo, Vladimir PutinPresidente russo, Vladimir Putin - Foto: Andrey Gorshkov / Sputnik / AFP

A adesão da Finlândia e da Suécia à OTAN traria "consequências" para esses países e para a segurança europeia, alertou nesta sexta-feira (15) o Ministério das Relações Exteriores da Rússia

Esses países "têm que entender as consequências de tal medida para nossas relações bilaterais e para a arquitetura da segurança europeia como um todo", disse a porta-voz do ministério, Maria Zakharova, em comunicado. 

"Ser membro da OTAN não pode fortalecer sua segurança nacional. De fato, eles (Finlândia e Suécia) estarão na linha de frente da OTAN", acrescentou. 

Helsinque e Estocolmo estão considerando ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) após a ofensiva militar russa contra a Ucrânia. 

Na quinta-feira, o ex-presidente russo e atual número dois do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitri Medvedev, afirmou que se a Finlândia e a Suécia aderirem à Aliança Atlântica, Moscou reforçará seus recursos militares, especialmente nucleares, no Mar Báltico e perto da Escandinávia. 

A Finlândia, que compartilha cerca de 1.300 quilômetros de fronteira com a Rússia, decidirá "em algumas semanas" se pedirá adesão à aliança, segundo seu primeiro-ministro. A Suécia não descarta a opção, mas parece estar tomando uma posição mais cautelosa por enquanto.

Veja também

Entenda estudo da Nasa sobre 'Brasil inabitável' em 50 anos
clima

Entenda estudo da Nasa sobre 'Brasil inabitável' em 50 anos

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas
Guerra

Netanyahu discursa no Congresso americano sob protestos de rua e boicote de dezenas de democratas

Newsletter