Notícias

Agressora que se vingou em criança de 9 anos é presa

O crime aconteceu há cerca de 20 dias, em Itamaracá, mas a agressora foi escondida por parentes em, Itapissuma. Devido ao espancamento, o menino teve traumas torácicos que resultaram em hemorragia pulmonar

Hospital da RestauraçãoHospital da Restauração - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Uma jovem de 18 anos suspeita de espancar o primo de 9 anos, em Itamaracá, foi presa nessa quarta-feira (02). O crime ocorreu há vinte dias, e o menino está internado há mais de dez dias no Hospital da Restauração, no Recife, onde vem se recuperando. A Justiça acatou o pedido de prisão preventiva solicitado pelo delegado de Itamaracá, Roberto Geraldo, e encaminhou a suspeita para o Hospital de Custódia e Tratamentos Psiquiátrico (HCTP), em Itamaracá.

A jovem foi localizada na casa do pai dela em Itapissuma, cidade vizinha à Itamaracá - segundo a polícia, o homem temia pela vida da filha devido às ameaças da comunidade. O pai alegou que a jovem faz uso de remédios controlados que podem ter interferido no comportamento durante o espancamento.

“Tão logo eu pegue a ficha médica do menino, concluo o caso. Estou aguardando esse laudo para poder definir a situação em que vou fazer o indiciamento dela”, disse o delegado. Roberto Geraldo afirmou que, até o momento, as duas principais vertentes de indiciamento para a agressora são lesão corporal grave ou gravíssima.

O delegado reforçou que, como o pai da jovem anexou aos autos que ela tomava remédios controlados, o juiz achou prudente direciona-la ao HCTP para atestar se a mulher possui alguma doença psiquiátrica. A agressora deve permanecer na unidade até que o inquérito seja encaminhado à Justiça, que pode ou não dar outro destino a ela.

Leia também:
Criança é espancada como vingança em briga de família
Jovem morto por espancamento é enterrado no Recife


A família da vítima comemorou a prisão. “Tomara que ela fique presa por todo sofrimento que causou a meu filho e a mim. Essa história de remédio controlado é safadeza. Ela até confessou o crime na delegacia”, afirmou a mãe da criança, a dona de casa Ivani Barros, 33.

Segundo Ivani, o filho foi vítima de vingança da prima, que havia brigado com ela dias antes do espancamento. A mãe contou que, depois de muitas ameaças contra ela, a agressora esperou a criança na saída da escola e lhe deu uma surra no meio da rua. O estudante foi socorrido por populares e, devido ao trauma torácico, foi internado com hemorragia pulmonar.
  

Veja também

Risco de fome atinge patamar recorde no Brasil e ameaça 36% das famílias
BRASIL

Risco de fome atinge patamar recorde no Brasil e ameaça 36% das famílias

Desde 2007, ações policiais mais letais somam 72 mortos; operação na Penha é segunda maior
RIO DE JANEIRO

Desde 2007, ações policiais mais letais somam 72 mortos; operação na Penha é segunda maior