Agressora que se vingou em criança de 9 anos é presa

O crime aconteceu há cerca de 20 dias, em Itamaracá, mas a agressora foi escondida por parentes em, Itapissuma. Devido ao espancamento, o menino teve traumas torácicos que resultaram em hemorragia pulmonar

Hospital da RestauraçãoHospital da Restauração - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Uma jovem de 18 anos suspeita de espancar o primo de 9 anos, em Itamaracá, foi presa nessa quarta-feira (02). O crime ocorreu há vinte dias, e o menino está internado há mais de dez dias no Hospital da Restauração, no Recife, onde vem se recuperando. A Justiça acatou o pedido de prisão preventiva solicitado pelo delegado de Itamaracá, Roberto Geraldo, e encaminhou a suspeita para o Hospital de Custódia e Tratamentos Psiquiátrico (HCTP), em Itamaracá.

A jovem foi localizada na casa do pai dela em Itapissuma, cidade vizinha à Itamaracá - segundo a polícia, o homem temia pela vida da filha devido às ameaças da comunidade. O pai alegou que a jovem faz uso de remédios controlados que podem ter interferido no comportamento durante o espancamento.

“Tão logo eu pegue a ficha médica do menino, concluo o caso. Estou aguardando esse laudo para poder definir a situação em que vou fazer o indiciamento dela”, disse o delegado. Roberto Geraldo afirmou que, até o momento, as duas principais vertentes de indiciamento para a agressora são lesão corporal grave ou gravíssima.

O delegado reforçou que, como o pai da jovem anexou aos autos que ela tomava remédios controlados, o juiz achou prudente direciona-la ao HCTP para atestar se a mulher possui alguma doença psiquiátrica. A agressora deve permanecer na unidade até que o inquérito seja encaminhado à Justiça, que pode ou não dar outro destino a ela.

Leia também:
Criança é espancada como vingança em briga de família
Jovem morto por espancamento é enterrado no Recife


A família da vítima comemorou a prisão. “Tomara que ela fique presa por todo sofrimento que causou a meu filho e a mim. Essa história de remédio controlado é safadeza. Ela até confessou o crime na delegacia”, afirmou a mãe da criança, a dona de casa Ivani Barros, 33.

Segundo Ivani, o filho foi vítima de vingança da prima, que havia brigado com ela dias antes do espancamento. A mãe contou que, depois de muitas ameaças contra ela, a agressora esperou a criança na saída da escola e lhe deu uma surra no meio da rua. O estudante foi socorrido por populares e, devido ao trauma torácico, foi internado com hemorragia pulmonar.
  

Veja também

Debate permanente deve nortear formação de conscientização geral em prol da diversidade
Respeito às diferenças

Debate permanente deve nortear formação de conscientização geral em prol da diversidade

Vacinação contra a Covid-19 no Brasil começa em ritmo lento e clima de incerteza
Zoom

Vacinação contra a Covid-19 no Brasil começa em ritmo lento e clima de incerteza