Guerra na Ucrânia

Alemanha fornecerá 2,7 mil mísseis antiaéreos adicionais à Ucrânia

Mísseis são do tipo STRELA, de fabricação soviética, que procedem dos estoques do exército da ex-Alemanha Oriental

Combatente do exército ucranianoCombatente do exército ucraniano - Foto: Sergei Supinsky/AFP

A Alemanha aumentará o fornecimento de armas à Ucrânia após a invasão russa, com o envio de 2.700 mísseis antiaéreos adicionais, informou uma fonte governamental.

"O governo alemão aprovou um novo apoio para a Ucrânia", com o fornecimento de mísseis antiaéreos do tipo STRELA, de fabricação soviética, que procedem dos estoques do exército da ex-Alemanha Oriental, antes da reunificação em 1990", afirmou a fonte.

Berlim já havia autorizado no sábado o envio para Kiev de 500 mísseis antiaéreos do tipo Stinger, 1.400 lança-foguetes antitanque e nove obuses, a maioria dos quais já chegaram à Ucrânia.

A decisão é uma mudança na política alemã do pós-guerra, que proibia a exportação de armas letais a zonas de conflito devido a seu passado nazista.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, justificou a mudança pela necessidade que a invasão russa da Ucrânia representa, o que obriga Berlim a repensar suas prioridades.

A Alemanha também anunciou um aumento dos gastos militares, com 100 bilhões de euros liberados imediatamente para modernizar suas Forças Armadas e o aumento no orçamento de defesa nos próximos anos.

Veja também

Blinken cita 'divergência real' por fala de Lula sobre Israel, mas destaca aliança
POLÊMICA

Blinken cita 'divergência real' por fala de Lula sobre Israel, mas destaca aliança

Medicamento para a asma pode prevenir riscos de alergias alimentares, diz estudo
PESQUISA

Medicamento para a asma pode prevenir alergias alimentares