Notícias

Alepe lança projeto para jovens que esperam adoção

Iniciativa da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) é pioneira no País. O "Alepe Acolhe" prevê cursos de capacitação e até bolsa

Projeto foi lançado ontem na Assembleia LegislativaProjeto foi lançado ontem na Assembleia Legislativa - Foto: Rhodolfo Barbosa/Divulgação

Pernambuco é o primeiro Estado onde jovens que aguardam um lar poderão passar por formação profissional para facilitar o acesso ao mercado de trabalho. Foi lançado nesta quarta (22), pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, o projeto “Alepe Acolhe”. Através da iniciativa, os adolescentes terão a oportunidade de passar por cursos de cursos de atualização em língua portuguesa, estrangeira e informática e aprendizagem de rotinas no ambiente de trabalho. O programa ainda oferecerá uma bolsa-auxílio no valor de R$ 500.

A iniciativa é realizada em parceria com a 2ª Vara da Infância do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Nesse primeiro momento, serão atendidos dez adolescentes, que estão em situação de extrema vulnerabilidade e aptos à adoção. São requisitos para ingressar no programa: estar apto à adoção; ter idade mínima de 17 anos e 6 meses; manifestar interesse na iniciação de formação profissional e comprovar frequência regular em instituições de ensino médio ou dos anos finais do ensino fundamental. O estágio terá duração de seis meses.

O idealizador do projeto é o 1º secretário da Alepe, deputado Clodoaldo Magalhães (PSB). “A ideia é reverberar a cultura da adoção com o apoio do Judiciário e de todas as entidades que buscam sensibilizar a sociedade para o amor envolvido nesse processo”, disse o parlamentar.

Leia também:
Novo cadastro deverá facilitar processo de adoção no país
Mais de 80% das bibliotecas comunitárias estão em áreas de vulnerabilidade social

“Esse é um projeto piloto que surgiu do sonho do juiz da segunda Vara, Élio Braz, da nossa Cristiane Alves e de minha teimosia de assim dar certo. Avançamos graças à sensibilidade do presidente Eriberto e toda a Mesa Diretora que vem nos ajudando a administrar a Casa Joaquim Nabuco”, enfatizou.
O presidente da Alepe, o deputado Eriberto Medeiros (PP), classificou o projeto como “uma iniciativa que dignifica ainda mais o Poder Legislativo ao dar à Casa de todos os pernambucanos a oportunidade de prestar este serviço à sociedade”.
Eriberto aproveitou a presença do vice-presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), Ricardo Barbosa, para sugerir que a experiência de Pernambuco seja reproduzida pelas demais Assembleias do país. Em seu discurso, Barbosa, que também preside a Assembleia Legislativa da Paraíba, elogiou a iniciativa da Alepe e se comprometeu em levar o projeto às demais Assembleias.
Representando o TJPE, o juiz da 2ª Vara da Infância, Élio Braz, elogiou a agilidade da Alepe na execução do projeto. “Pela primeira vez vejo um movimento afetivo institucional em torno de uma causa tão intimamente ligada à história da humanidade, que é a adoção”, disse.
De acordo com o magistrado, as leis são insuficientes para resolver questões sociais como o problema da adoção. “Precisamos da sensibilidade das instituições. Não há dúvida de que pequenos atos, pequenas emoções constroem grandes obras”, disse.

 

Veja também

Um morto e 29 feridos em explosão de fábrica de pólvora perto de Bogotá
COLÔMBIA

Um morto e 29 feridos em explosão de fábrica de pólvora perto de Bogotá

Argentina considera ''equivocada'' decisão do TPI de ordenar prisão de Netanyahu
POSICIONAMENTO

Argentina considera ''equivocada'' decisão do TPI de ordenar prisão de Netanyahu

Newsletter