Saúde

Alergologista tira dúvidas dos internautas

Para esclarecer as dúvidas e alguns mitos a respeito da doença, a Folha de Pernambuco conversou com a médica alergologista Maryanna Aquino, da Alergo Imuno.

Alergologista Maryanna AquinoAlergologista Maryanna Aquino - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

A Semana Mundial da Alergia segue até o próximo dia 13 de abril e tem como tema central “Alergia Alimentar: Um problema Global”. No Brasil, os indicadores têm gerado preocupação entre os especialistas: cerca de 8% das crianças com até dois anos de idade e 2% dos adultos sofrem de algum tipo de alergia alimentar.

Para esclarecer as dúvidas e alguns mitos a respeito da doença, a Folha de Pernambuco conversou com a médica alergologista Maryanna Aquino, da Alergo Imuno. Ela respondeu a várias questões e os vídeos estarão disponíveis no Instagram, pelo @folhape, e no Youtube,através do TV Folha.

Organizada pela World Allergy Organization (WAO) e pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) , o objetivo é conscientizar a população sobre o diagnóstico, tratamento e prevenção. Mais de 170 alimentos são considerados potencialmente alergênicos, no entanto, existem vários mitos que precisam ser desmistificados em torno deste tema.

Leia também:
Alergia alimentar é tema da Semana Mundial da Alergia

“Na infância, os alimentos com maior potencial alergênico são leite, ovo e trigo. Na fase adulta, os mais comuns são os frutos do mar, o camarão. Mas a alergia pode surgir em qualquer fase da vida. O importante é que as pessoas possam de forma consciente ter acesso à orientação correta”, afirma o presidente da ASBAI em Pernambuco, Waldemir da Cunha Antunes Neto.


Veja também

Neonazista é condenado à prisão perpétua na Alemanha por morte de político pró-migração
Julgamento

Neonazista é condenado à prisão perpétua na Alemanha por morte de político pró-migração

Desemprego chega a 14,1% entre setembro e novembro de 2020
Economia

Desemprego chega a 14,1% entre setembro e novembro de 2020