Alunos se ajudam no aprendizado

No projeto Estudante-Monitor os discentes estimulam uns aos outros para aumentar chance em vestibulares técnicos

Iniciativa está disponível para 2,2 mil alunos matriculados no 9º ano da rede municipalIniciativa está disponível para 2,2 mil alunos matriculados no 9º ano da rede municipal - Foto: Ed machado

Estudantes do 9º ano da rede municipal da cidade do Recife vêm mudando o modo de aproveitar as aulas. Foi implantado, desde o início de agosto, o projeto Estudante-Monitor, que consiste em uma metodologia de aula diferenciada, na qual os próprios alunos estimulam uns aos outros na aprendizagem de português e de matemática.

A iniciativa é parte do projeto Ondatec, lançado pela Prefeitura do Recife em parceria com a Secretaria de Educação do Estado e pretende aumentar a possibilidade dos estudantes conseguirem uma vaga em vestibulares técnicos por meio da promoção de aulões de reforço em português e matemática aos sábados.

O projeto já está disponível para 2,2 mil alunos matriculados no 9º ano de 36 escolas da rede municipal de ensino. Joana Cayllane tem 14 anos e é uma das monitoras da escola municipal Nilo Pereira. Segundo ela, a principal função do projeto é oferecer uma oportunidade de trabalho para os alunos que não têm condições de arcar com os custos de um preparatório para concursos pago. “Eu entrei no projeto porque é uma oportunidade a mais de estudar. Aprendo com o projeto ao mesmo tempo que eu ajudo”, contou.

A professora de português Geize Araújo, que também leciona no OndaTec, explicou que o trabalho tem melhorado o desempenho dos alunos na sala de aula. “Essa metodologia é eficiente porque os alunos conhecem o vocabulário uns dos outros. É a mesma linguagem. Além de melhorar a autoestima dos que estão como monitores, também faz com que os aprendizes se dediquem às aulas”, disse ela.

Em cada escola dois professores são os responsáveis pela aplicação do projeto. Além de Geize Araújo, o professor de matemática, Fábio de Oliveira, também é o responsável por coordenar os alunos.

No total, 79 jovens estão operando como monitores, um para cada turma da rede. Os monitores são eleitos com base em seu desempenho da Unidade Virtual de Cursos à Distância da Secretaria de Educação do Recife (Unirec), que oferece cursos de Ensino à Distância (EaD) desde 2015.

A dinâmica muda de sala para sala, dependendo da disponibilidade e dos acordos criados entre os alunos. Cada um dos monitores se encarrega de um ou dois grupos de cinco colegas de classe. Eles usam, fora do horário de aula, tanto as dependências quanto os tablets da escola para estimular o uso da Unirec. Os estudantes-monitores recebem uma remuneração no valor de R$100 pela dedicação ao novo “cargo”.

Na escola Nilo Pereira, a professora Geize cede um espaço da aula para que o Estudante-Monitor seja aplicado. “Esses meninos não tinham nem noção da capacidade deles. Esse projeto estimula isso. Os alunos das escolas públicas estavam perdendo espaço nos concursos das escolas técnicas e são eles que mais precisam.”

Veja também

Enem 2020: gabaritos oficiais de provas impressas podem ser consultados a partir desta quarta (27)
EDUCA MAIS BRASIL

Enem 2020: gabaritos oficiais de provas impressas podem ser consultados a partir desta quarta (27)

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus em oito países
Coronavírus

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus em oito países