André Ferraz: de empresa universitária a referência no Porto Digital

Em 2018, a In Loco dobrou seu faturamento e expandiu suas fronteiras abrindo uma sede em São Paulo e um escritório nos Estados Unidos

André FerrazAndré Ferraz - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Aos 27 anos, André Ferraz já comanda uma empresa que fatura R$ 60 milhões por ano. Ele é CEO e cofundador da In Loco - startup pernambucana que desenvolveu uma tecnologia de geolocalização mais precisa que o GPS e vem gerando negócios milionários com isso. Só em 2018, a In Loco dobrou seu faturamento e expandiu suas fronteiras abrindo uma sede em São Paulo e um escritório nos Estados Unidos.

A empresa ainda conquistou o maior prêmio da publicidade brasileira, o Caboré. E, assim como a In Loco foi eleita a Melhor Empresa de Serviço de Marketing do País, André levou o título de profissional de destaque do mercado no Caboré. Por isso, foi escolhido personalidade do ano da economia estadual pela Folha de Pernambuco.

Conheça as outras personalidades homenageadas pela Folha:
Edcléa Santos: referência em feminismo e em direito à cidade
Sylvia Siqueira Campos: educação é a chave para as mudanças
Odília Nunes: conectada com a inspiração
Na Seleção de judô desde os 12, Leonardo Sant'ana sonha com olimpíada

“A In Loco vem crescendo rápido desde 2014, mas 2018 foi um ano importante”, reconhece André, que, mesmo assim, mantém a simplicidade, chegando de chinelo e bermuda para apresentar o balanço do ano aos seus funcionários, na sede da In Loco, no prédio do Antigo Santander Cultural, no Marco Zero do Recife. “Foi um ano de muito crescimento. A empresa mais que dobrou, melhorou sua rentabilidade, atraiu novos investidores e se consolidou no mercado nacional, tanto que hoje somos líder de mercado e o player mais relevante da nossa indústria”, conta o empresário.

Até assuntos delicados viraram trunfo para a In Loco em 2018. É que o Ministério Público do Distrito Federal abriu um inquérito para investigar se o negócio da empresa, que usa sua tecnologia para localizar e enviar anúncios para consumidores potenciais, fere o direito de proteção dos dados pessoais. “Só que a privacidade é um pilar extremamente importante do nosso negócio. Nós trabalhamos para resolver esse problema. Por isso, passamos a usar isso de forma positiva, discutindo o assunto com o mercado. E, assim, nos tornamos referência em boas práticas de privacidade no Brasil”, revela André, que entrou no mundo dos computadores com bem menos ambições.

André Ferraz

Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O jovem empresário pernambucano começou a programar ainda na infância, por influência do pai engenheiro, Carlos Ferraz. “Meu pai foi um dos primeiros a ter internet no Recife. Por isso, tive acesso ao computador bem cedo. E, com uns 9 ou 10 anos, comecei a desenvolver jogos para mim mesmo", revela André, que começou a programar sozinho. "Fui aprendendo e gostando muito de computação, mas ao entrar na faculdade vi que esse universo era muito maior e comecei a trabalhar junto com meus colegas que hoje são meus sócios”, lembra André, contando que a In Loco nasceu nos corredores do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em um trabalho do curso de Ciência da Computação.

“Foi complicado no início, porque tínhamos dificuldade em levantar investimento”, lembra André, que levou três anos para amadurecer a tecnologia e o modelo de negócio da In Loco. “Criamos dois negócios que deram errado, até que achamos o modelo de marketing que nos deu tração”, revela o empresário, que se inspirou na mãe, a engenheira Ana Ferraz, para encarar esses contratempos. “Ela me ensinou a ter resiliência, porque passou por muitas dificuldades na infância, mas teve força para fazer duas faculdades e ajudar os irmãos”, revela.

Depois que os jovens empreendedores encontraram o atual modelo de negócio, porém, a evolução foi rápida. Foram necessários apenas quatro anos para a empresa universitária que era a In Loco se transformar em uma referência do Porto Digital, colocando 180 pessoas para trabalhar em seu projeto. E a In Loco segue crescendo, tanto que pode até se transformar no primeiro ‘unicórnio’ (empresa avaliada em US$ 1 bilhão) de Pernambuco nos próximos anos.

André Ferraz

Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Confira fotos de momentos importantes da carreira de André (em sentido horário, começando da foto à esquerda, no alto):

1. Em 2011, começar uma empresa milionária era o sonho de André e mais cinco amigos da faculdade. Foi quando decidiram desenvolver um app de navegação indoor para shoppings, mas para isso tiveram que desenvolver uma tecnologia de geolocalização indoor própria.

2. A tecnologia desenvolvida pelos seis amigos é reconhecida pela Microsoft, em Berlim, como a mais precisa do mercado global. Do projeto de faculdade nasce uma empresa: Em 2014, a In Loco passa a operar comercialmente.

3. Desde 2017, o time da In Loco em Pernambuco ocupa um dos mais icônicos exemplares da arquitetura eclética do Bairro do Recife: o número 23 da Avenida Rio Branco, com vista privilegiada para o Marco Zero. 

4. Após crescer 100% de 2016 para 2017, a In Loco vive uma expansão nacional consistente e inaugura sua sede em São Paulo, na Avenida Cidade Jardim, no Itaim Bibi.

5. Para encerrar 2018, uma conquista inédita da In Loco e de Pernambuco: A empresa foi a primeira do Estado a ganhar o Prêmio Caboré - considerado o Oscar da publicidade brasileira.

6. Na In Loco University, discussão sobre privacidade e Lei Geral de Proteção de Dados.

Momentos marcantes da InLoco

 

Veja também

Ex-presidente filipino Benigno "Noynoy" Aquino morre aos 61 anos
Luto

Ex-presidente filipino Benigno "Noynoy" Aquino morre aos 61 anos

Premiê húngaro justifica lei polêmica e diz defender homossexuais
Homofobia

Premiê húngaro justifica lei polêmica e diz defender homossexuais