Anistia Internacional lança campanha sobre grupos carentes no Brasil

Público-alvo é considerado de risco durante a pandemia

Abrigo na Ilha do Governador, no Rio de JaneiroAbrigo na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro - Foto: Mauro Pimentel/AFP

A Anistia Internacional Brasil lançou nesta quinta-feira (14) a campanha “Nossas vidas importam”, com o objetivo de chamar a atenção para grupos considerados de risco neste momento de combate à pandemia do novo coronavírus. Entre eles, a entidade destaca idosos, mulheres, moradores de favelas, de periferia, de rua, grupos indígenas, negros, comunidades quilombolas e LGBTS (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e simpatizantes).

“A campanha visa dirigir a atenção das autoridades para um conjunto amplo de populações que têm sido negligenciadas em resposta à pandemia”, disse a diretora executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck.

Leia também:
Times do Rio participam de campanha para enfrentar subnotificação de Covid-19
Governo propõe acolhimento de 78 mil moradores de rua no País

A campanha foi lançada no debate, via redes sociais, “Impacto da covid-19 nas favelas e periferias”, que, além da diretora da Anistia Internacional Brasil, teve a participação de Arielle Franco, diretora do Instituto Marielle Franco; da coordenadora do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente no Ceará, Mara Carneiro; da diretora de comunicação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Denize Ornelas; e do jornalista Raul Santiago.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Recife abre vacinação contra a Covid-19 para o público a partir de 28 anos
Coronavírus

Recife abre vacinação contra a Covid-19 para o público a partir de 28 anos

Campanha nacional contra Bolsonaro marca nova manifestação para 7 de setembro
Protesto

Campanha nacional contra Bolsonaro marca nova manifestação para 7 de setembro