Anvisa autoriza importação de equipamentos usados em UTI

Até então a importação desses equipamentos não era permitida

RespiradorRespirador - Foto: STEFAN ROUSSEAU / POOL / AFP

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação e a doação de equipamentos usados indispensáveis em unidades de terapia intensiva (UTIs). A medida, aprovada nessa terça-feira (28), foi tomada em função da emergência de saúde pública relacionada à Covid-19. Até então a importação desses equipamentos não era permitida.

A medida também visa aumentar a oferta de equipamentos usados no tratamento de pacientes graves com o novo coronavírus (Covid-19). A autorização libera a importação, comercialização e doação de ventiladores pulmonares, monitores de sinais vitais, bombas de infusão, equipamentos de oximetria (que medem o nível de oxigênio no sangue) e capnógrafos (registram a pressão parcial de CO2 – dióxido de carbono – durante o ciclo respiratório).

Leia também:
Justiça derruba liminar para entrega de respiradores ao Rio de Janeiro
Anvisa aprova regra que permite importação e venda de respiradores usados
Respiradores apreendidos por determinação da Justiça chegam a Pernambuco

"A medida só vale para equipamentos que possuam ou que já tenham possuído registro na Anvisa, ou seja, produtos que já foram avaliados pela Agência em algum momento. No entanto, os equipamentos médicos que perderam a validade do registro em razão de problemas de segurança ou eficácia ficam excluídos dessa permissão", informou a Anvisa.

De acordo com a Anvisa, a autorização é extraordinária e temporária, e vai permanecer em vigor até que seja encerrada a situação de emergência em saúde pública de importância nacional declarada pelo Ministério da Saúde.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon
Crime

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa
Economia

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa