Crise Humanitária

Ao menos 70 migrantes morreram afogados em duas semanas na costa da Líbia

Segundo autoridades, seis migrantes e sete corpos foram resgatados

Crise humanitária na LíbiaCrise humanitária na Líbia - Foto: Mahmud Turkia/AFP

Pelo menos 70 imigrantes morreram afogados nas últimas duas semanas depois de deixar a costa da Líbia para a Europa, disse a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta quinta-feira (17). 

"Pelo menos 70 migrantes desapareceram na costa da Líbia e acredita-se que tenham se afogado nas últimas duas semanas", disse a OIM em comunicado. 

Segundo a organização, "um barco que transportava 25 migrantes virou em 12 de março na costa de Tobruk", no leste da Líbia. 

"As autoridades resgataram seis migrantes e recuperaram sete corpos, enquanto outros 12 ainda são procurados", acrescentou.

A OIM relatou outro naufrágio em 27 de fevereiro, quando um navio "virou quatro horas depois de deixar o porto de Sabratha" (oeste). 

"Nenhum sobrevivente foi encontrado", segundo a OIM, que acrescentou que os corpos de 15 migrantes, incluindo um bebê, foram recuperados, enquanto 35 pessoas ainda estão desaparecidas. 

Esses naufrágios elevam para 215 o número de migrantes registrados como mortos ou desaparecidos no Mediterrâneo central desde o início de 2022, de acordo com o "Missing Migrants Project" da OIM, que lista as pessoas que morreram durante a migração para um destino internacional.

Federico Soda, chefe da missão da OIM na Líbia, citado no comunicado, disse estar "consternado" com a perda de vidas humanas e a "falta de ações para lidar com esta tragédia".

Veja também

Petroleiros venezuelanos exigem inclusão em leilão de subsidiária da PDVSA nos EUA
Mundo

Petroleiros venezuelanos exigem inclusão em leilão de subsidiária da PDVSA nos EUA

China anuncia meta de crescimento econômico de 5% para 2024, segundo informe de trabalho
Economia

China anuncia meta de crescimento econômico de 5% para 2024, segundo informe de trabalho