Carnaval 2024

Ao som de frevo e em clima de Carnaval, Galo Gigante é erguido no Recife

Para este ano, mensagem pedindo por paz é enfatizada na escultura

Galo Gigante da Paz, de pé na Ponte Duarte Coelho, na capital pernambucanaGalo Gigante da Paz, de pé na Ponte Duarte Coelho, na capital pernambucana - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

O Galo Gigante está de pé na Ponte Duarte Coelho, no Bairro do Recife, na área central da capital pernambucana, levantando consigo um pedido de paz e lembrando as gerações mais antigas de foliões, com a “cabeça branca”. A subida da escultura aconteceu na noite desta quarta-feira (7), às 18h45, ao som de orquestras de frevo.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Folha de Pernambuco (@folhape)

Quem assina a obra por mais um ano é o artista plástico, designer e consultor Leopoldo Nóbrega. Ele conta com a produção executiva de Germana Xavier e revela de onde e quem surgiu o processo de inspiração. 

“A ideia surgiu a partir de temas como gentileza, ancestralidade, sustentabilidade e inclusão. O Galo se tornou um mensageiro divino da esperança de paz para o nosso tempo. A obra também homenageia seres iluminados que dedicaram sua existência pela paz no mundo, como Dom Hélder Câmara, Cacique Raoni, Madre Teresa de Calcutá e Martin Luther King. E marca, ainda, os 79 anos da Organização das Nações Unidas (ONU) em sua missão de paz pelo mundo”, pontua Nóbrega. 

"É uma emoção gigante, a culminância de tanto trabalho. É um momento simbólico e que arrepia. A gente vê o calor das pessoas e a emoção. É uma emoção gigante participar desse momento, sem dúvida", complementa.

Tendo priorizado uma mensagem antirracista no ano passado e agora reverberando um apelo por paz, o artista acredita que essa é uma forma de expandir mensagens para a sociedade para além do período de folia.

"´É muito importante que a gente consiga entender a potência do Carnaval como algo com capacidade de comunicar alguma coisa. Nós temos trazido temas e mensagens transformadoras. É interessante, porque mesmo as pessoas que não brincam Carnaval dizem que têm trazido outro olhar para as mensagens da escultura. Tudo pode ter um lado construtivo", salienta.

Em toda a extensão da composição artística, foram usados 720 litros de tintas, com cada um dos cinco continentes do mundo sendo representado por uma cor. A Ásia aparece em amarelo; a África, em preto; a América, em vermelho; a Europa, em azul; e a Oceania, em verde.

Na crista do animal, os foliões mais velhos são lembrados com as cores branca e prata, em reflexo aos cabelos brancos que se apresentam com o passar dos anos. As penas do rabo trazem “paz” em 16 idiomas.

A responsabilidade com o meio ambiente e a reutilização de materiais também compõem a obra, através de mil penas cenográficas confeccionadas com dois mil metros de lonas usadas anteriormente em materiais publicitários e 10 mil CDs e DVDs doados.

Público se reúne para acompanhar Galo Gigante subindo nesta noite, no Recife | Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Prefeito do Recife, João Campos (PSB) marca presença no momento. O evento, aliás, foi uma promessa feita por ele no ano passado, quando, de forma despretensiosa, pessoas se reuniram para assistir ao Galo Gigante se erguer. 

"Pela primeira vez a gente organiza a subida do Galo com apresentações artísticas e orquestra flutuando em cima do rio. Leopoldo teve a sensibilidade de pegar o maior símbolo do nosso Carnaval e colocar um recado pela paz em 16 idiomas. O Galo é esse grande mensageiro de causas importantes", diz Campos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Folha de Pernambuco (@folhape)

Apesar de nascido no Recife, Rodrigo Oliveira, aos 28 anos, nunca tinha chegado tão próximo da escultura como aconteceu nesta noite.

“Achei bem interessante esse evento voltado para a subida dele. Eu confesso que, realmente, achei interessante e quis saber como era. Tenhos planos de curtir Recife e Olinda neste Carnaval", frisa.

Aos 75 anos e tendo que programar uma viagem para poder encontrar o Galo Gigante na Ponte Duarte Coelho, Zenaide Pereira de Almeida também teve esse contato mais próximo com o símbolo cultural pela primeira vez. 

"Eu moro em Natal e vim aqui curtir. É uma alegria. Eu nunca tinha visto ele tão de perto, mas agora estou vendo. Adorei e aprovei. Ele está lindo", afirma.

 

Veja também

Meningite: conheça as causas, os sintomas e as formas de evitar a doença
Prevenção

Meningite: conheça as causas, os sintomas e as formas de evitar a doença

TikTok: app vai ser banido nos EUA? Entenda o que acontece agora com a rede social
Rede Social

TikTok: app vai ser banido nos EUA? Entenda o que acontece agora com a rede social

Newsletter