Apac prevê volta da estabilidade climática em Pernambuco

Segundo o órgão, Pernambuco terá um dos melhores trimestres dos últimos sete anos, em termos de clima

Possibilidade de ocorrer chuvas dentro da média é de 40% na região litorânea de PernambucoPossibilidade de ocorrer chuvas dentro da média é de 40% na região litorânea de Pernambuco - Foto: Anderson Stevens

A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) divulgou, nessa quarta (28), o boletim de previsão climática para o setor leste da Região Nordeste, para os próximos três meses - abril, maio e junho. De acordo com o órgão, Pernambuco terá um dos melhores trimestres dos últimos sete anos, em termos de estabilidade climática. A análise aponta para uma normalidade atmosférica em todo o Estado, com 40% de possibilidade de ocorrer chuvas dentro da média no Litoral, Agreste e Alto Pajeú, e 35% de chance de chover acima da média nessas regiões.

Já para a região oeste, a partir da Serra das Russas, a expectativa é que chova abaixo da média. Embora, isso pareça assustador, a situação é de estabilidade. De acordo com a previsão, há 35% de chances de que chova dentro da normalidade e 40% abaixo do normal para a localidade. A situação já é esperada. De acordo com a agência, o período chuvoso nos municípios localizados após a Serra das Russas, em direção ao Sertão, está acabando. Já para o Litoral, Agreste e Alto Pajeú, o período começa em abril.

Diferentemente dos anos anteriores, quando houve uma forte estiagem, o ano de 2018 tende a ser de estabilidade atmosférica, sem variações inesperadas de clima. Mas os reflexos da seca prolongada ainda persistem. Ontem, o Governo do Estado publicou decreto de situação de emergência em 30 municípios. De acordo com a publicação, feita no Diário Oficial, o cenário de redução de chuvas, aliada à queda intensificada das reservas hídricas, foram os motivos do alerta emitido pelo Executivo.

Leia também:
Novo alerta de chuvas no litoral pernambucano é emitido pela Apac
Mudanças climáticas aumentam disputas judiciais por água e desafiam juízes
Mudanças climáticas causarão catástrofe migratória, alerta Banco Mundial


"Desde 2012 enfrentamos chuvas abaixo da média, como se fosse um bloqueio atmosférico que estivesse nessa região. Para este ano, a atmosfera está voltando ao normal, havendo possibilidades de chuvas. Mas elas não vão conseguir suprir esses seis anos de seca. Seria preciso um dilúvio para que compensasse esses anos todos”, afirmou o gerente de meteorologia da Apac, Patrício Oliveira.

Estiagem

Os municípios atingidos pela forte estiagem e que estão listados em situação de emergência são: Afogados da Ingazeira, Afrânio, Araripina, Arcoverde, Belém de São Francisco, Betânia, Bodocó, Brejinho, Cabrobó, Carnaíba, Carnaubeira da Penha, Cedro, Custódia, Dormentes, Exu, Flores, Floresta, Granito, Ibimirim, Iguaracy, Inajá, Ingazeira, Ipubi, Itacuruba, Itapetim, Jatobá, Lagoa Grande, Manari, Mirandiba e Orocó.

O decreto é válido por 180 dias. Nesse período, Estado e municípios deverão atuar em conjunto para combater essa situação.

 

Veja também

Nasa anuncia descoberta inédita de água na superfície da Lua iluminada pelo Sol
Descoberta espacial

Nasa anuncia descoberta inédita de água na superfície da Lua iluminada pelo Sol

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19
Coronavírus

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19