Após acordo, estudantes deixam reitoria e ocupam Bloco C da Unicap

Movimento ocupava o prédio desde o último dia 11. Agora, a ocupação continua em um novo espaço, e seguirá sem prejudicar o andamento do calendário letivo

Luciana Santos e Manuela D'Ávila, ambas do PCdoBLuciana Santos e Manuela D'Ávila, ambas do PCdoB - Foto: Karla Boughoff/Divulgação

Depois de dez dias de travamento total, a reitoria da Universidade Católica de Pernambuco restabeleceu, na manhã desta segunda-feira (21), a normalidade de suas atividades. Em reunião finalizada na tarde na tarde do último domingo (20), a diretoria chegou a um acordo com o movimento que ocupava o prédio desde o último dia 11, e que agora será relocado para uma sala no Bloco C do complexo.

A transação foi registrada em documento, no qual a universidade reconhece que encontrou o espaço em perfeitas condições, limpo e sem qualquer sinal de depredação. Para que os jovens permitissem o funcionamento regular da reitoria, a instituição teve que ceder às pautas do movimento. O principal ponto conquistado pelos manifestantes foi o restabelecimento das bolsas de monitoria.

Outra demanda era a garantia de que nenhum dos participantes da ocupação sofresse represálias, sejam na forma de faltas ou de processos administrativos. Além disso, a Unicap também assegurou que um canal de diálogo será mantido para que as bolsas de assistência social sejam cedidas aos funcionários terceirizados a serviço na universidade e seus familiares, que também terão gratuidade na inscrição no vestibular. Agora, a ocupação continua em um novo espaço, e seguirá sem prejudicar o andamento do calendário letivo. A ideia do movimento é se manter mobilizado até o dia 13, quando será votada a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55/2016. Até lá, os jovens pretendem persistir no debate sobre o contexto político nacional, com enfoque nas questões ligadas à Educação: a PEC e a Medida Provisória que propõe uma reforma no Ensino Médio.

Veja também

Mundo supera 12 milhões de casos coronavírus
Coronavírus

Mundo supera 12 milhões de casos coronavírus

ONU prevê temperaturas mais altas até 2024
CLIMA

ONU prevê temperaturas mais altas até 2024