Após dizer que 'comeria' despacho, padre Fábio de Melo se desculpa

O comentário, feito durante uma missa, gerou comentários negativos ao padre

Padre disse ainda que se desculpou com o babalorixá Ivanir dos SantosPadre disse ainda que se desculpou com o babalorixá Ivanir dos Santos - Foto: Reprodução/Instagram

O padre Fábio de Melo se envolveu em uma polêmica com as religiões de matrizes africanas. Durante uma missa, o padre-cantor afirmou que, caso encontrasse um despacho, ritual feito com alimentos, comeria."Com todo respeito a quem faz macumba, pode fazer, pode deixar na porta da minha casa que, se estiver fresco, a gente come”, disse o religioso, durante uma celebração em 8 de abril.



Ele ainda completou:“Se você achar que uma galinha preta na porta da sua casa com um litro de cachaça e uma farofa de banana tem o poder de trazer destruição na sua casa, na sua vida, você não conhece a força do Cristo ressuscitado", disse. Em nota enviada à imprensa, o padre disse que não quis ofender, mas expressou convicções cristãs. Confira na íntegra:

"Sempre manifestei publicamente o meu respeito a todas as religiões. O candomblé fez parte da minha origem. Nunca quis ofender ou desmerecer quem quer que seja. Apenas expressei, durante uma celebração cristã, convicções cristãs. Peço perdão aos que se sentiram ofendidos. Eu não sou proprietário da verdade. Eu estou em busca dela. Quero o esclarecimento espiritual que me coloque ao lado de todos. Diferentes e iguais a mim. Somos irmãos e não me sinto melhor que ninguém. Se fui infeliz na forma como expressei o meu não crer, perdoem-me.

Já fiz um contato com o babalorixá Ivanir dos Santos. Ele foi extremamente gentil comigo. Nosso desejo é esclarecer que tolerância religiosa não significa abrir mão do que cremos ou não cremos, mas conviver harmoniosamente, colaborando na construção de um mundo melhor.

O mundo já está dividido demais para que criemos outras divisões a partir de nós"

Veja também

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia
Coronavírus

Amazonas receberá cota extra de vacinas para frear pandemia

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio
Coronavírus

Avião com doses da vacina de Oxford, produzida na Índia, chega ao Rio