“Aqui me ensinam a ser gente”

Detentos do Presídio de Igarassu que frequentam a Escola Estadual Dom Helder Câmara têm diversos depoimentos

Postagem de Camilo no seu Instagram, no sábado Postagem de Camilo no seu Instagram, no sábado  - Foto: Reprodução Instagram

A possibilidade de se dedicar aos estudos pode transformar uma pessoa de várias formas. Com tempo ocioso de sobra e tendo que se apegar a algo que possa proporcionar uma distração momentânea e uma chance de mudança no futuro, quando eles deixarem a reclusão, os detentos do Presídio de Igarassu que frequentam a Escola Estadual Dom Helder Câmara têm diversos depoimentos que confirmam a importância da atividade escolar dentro de uma unidade prisional:

“Quando eu cheguei aqui eu sabia muito pouco. Mas os professores e professoras me ensinaram muitas coisas. Quando eu sair daqui quero ser alguém na vida. Tenho uma filha de seis anos e quero fazer de tudo para dar uma vida melhor a ela”.
Paulo Wanderley de Melo, 52 anos.

“Um colega que estudava aqui me falou que era muito bom e decidi me inscrever. Aqui a gente aprende que, com estudo, a gente pode ser o que quiser”.
Felipe de Souza, 27 anos

“Quando a gente chega aqui a gente chega muito confuso, com a cabeça muito cheia. É uma vida muito difícil. Quando a gente se depara com a escola, a gente vê que pode ser alguém, que a pode melhorar. Muitos aqui vão sair com um objetivo, que é, ter um trabalho”.
Leandro Andrade de Arruda, 28

Veja também

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021
carnaval

Rio não terá desfile de blocos de rua no carnaval de 2021

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França