Coronavírus

Argentina supera 5 mil mortos por Covid-19

No total, o país registra 5.088 mortes por coronavírus desde 7 de março

Teste de coronavírus na ArgentinaTeste de coronavírus na Argentina - Foto: Juan Mabromata/AFP

A Argentina superou a marca de 5 mil mortes por Covid-19, após registrar o recorde de 241 vítimas fatais na terça-feira à noite e outras 81 na manhã desta quarta-feira, informou o ministério da Saúde. No total, o país registra 5.088 mortes por coronavírus desde 7 de março. Também contabiliza 260.898 contágios, incluindo 187.283 pessoas recuperadas, em uma população de 44 milhões de habitantes.

Mais de 90% dos casos aconteceram em Buenos Aires e sua periferia, onde a ocupação de leitos de UTI chegou a 68,6%. No conjunto do país, a taxa de ocupação nas UTIs alcança 58,2%. "Ninguém está em condições de suportar um aumento de casos", advertiu o vice-ministro da Saúde da província de Buenos Aires, Nicolás Kreplak. Ele defende o retorno de uma quarentena estrita para cortar o aumento de contágios.

No fim de julho, o governo do presidente Alberto Fernández decidiu frear uma flexibilização progressiva do confinamento, adotado em 20 de março, na área metropolitana de Buenos Aires, após um agravamento dos indicadores sobre a evolução da pandemia. Também proibiu as reuniões sociais em todo o país.

O governo, no entanto, não endureceu as medidas de isolamento diante do cansaço da sociedade e do impacto sobre a atividade econômica. "Entendo que as pessoas tenham um certo tédio de ficar trancadas depois de tanto tempo, mas recorro à capacidade de reflexão de cada um. Quanto mais tempo permanecermos isolados e afastados do outro, nosso risco é minimizado", disse Fernández na terça-feira, antes de afirmar que a Argentina vive "o pior momento" da pandemia.

Esta semana a província de San Juan (noroeste) retomou as aulas, um teste para o restante do país.

Veja também

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus
Saúde

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte