Arquidiocese de Olinda e Recife apresenta inventário histórico a partir do século 17

O Inventário resulta de análise e trabalho de conservação de documentos coletados de igrejas históricas da Arquidiocese

Arquidiocese de Olinda e Recife apresenta projeto de conservação e restauro de documentos e livros das igrejas de Recife e OlindaArquidiocese de Olinda e Recife apresenta projeto de conservação e restauro de documentos e livros das igrejas de Recife e Olinda - Foto: Leo Malafaia/Folha de Pernambuco

A Arquidiocese de Olinda e Recife apresentou, na manhã desta sexta-feira (14), o inventário das documentações das igrejas antigas de Olinda e Recife. O arquivo está instalado no Centro Arquidiocesano de Pastoral, na Várzea, Zona Oeste do Recife.

O inventário resulta de análise e trabalho de conservação de aproximadamente 400 caixas de documentos e acervos coletados e recolhidos de igrejas históricas no território da Arquidiocese, que reúne 132 paróquias.

Leia também: 
Arquidiocese ordena sete padres nesta segunda, na Sé
Arquidiocese de Olinda e Recife ordena novo bispo auxiliar

A administradora do arquivo, Acácia Coutinho, explica que o trabalho começou com a criação da comissão de bens culturais da igreja, em 2012. “A primeira proposta da comissão foi exatamente a criação do arquivo eclesiástico,que já existia, mas estava guardado em uma sala do centro e fragmentada entre as igrejas”.

De acordo com a coordenadora do Projeto de Preservação da Memória do arquivo, Débora Mendes, a ação necessitou de um grande investimento de tempo e corpo de funcionários e da criação de um ambiente adequado para receber os documentos.

O inventário é composto por documentos produzidos ao longo dos anos pela igreja católica - de acordo com Débora, o mais antigo tem data do século XVII e ficará exposto no arquivo do Centro Arquidiocesano de Pastoral.

“Estes documentos nos dão um perfil de como era a sociedade pernambucana nas épocas passadas, como eram os costumes, as tradições, a maneira de viver, toda a vida da comunidade daquela época”, afirma a coordenadora. O objetivo do projeto, ainda segundo Débora, é difundir, dar acesso e preservar a memoria dos séculos passados.

Para ter acesso aos documentos, os pesquisadores devem enviar e-mail para [email protected], explicando sua pesquisa e especificando o tipo de documentos e também solicitando uma data e horário para ir ao acervo. Feito o agendamento, a equipe seleciona e separa os materiais referentes à pesquisa para que o interessado faça sua consulta no local.

 “Este é um momento muito belo para nossa Arquidiocese e para a história de Pernambuco. Um povo sem escrita e sem atitudes é um povo sem memória, e isso (as escrituras) nos ajuda a preservar a nossa memória” declarou o bispo-auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, dom Limacêdo.

De acordo com a Arquidiocese, o lançamento do inventário faz parte da primeira fase do projeto de preservação da memória do arquivo, em parceria com Governo de Pernambuco e a Fundarpe, por meio do Funcultura. 

Veja também

Biden toma posse como presidente dos EUA em meio a crises sanitária e de segurança
Estados Unidos

Biden toma posse como presidente dos EUA em meio a crises sanitária e de segurança

Anvisa não fará retrabalho ao avaliar novo pedido de mais doses do Butantan, diz gerente
Entrevista

Anvisa não fará retrabalho ao avaliar novo pedido de mais doses do Butantan, diz gerente