Arquidiocese de Olinda e Recife ganha novo vigário geral

Padre Luciano Brito será o mais jovem a servir na função. Posse aconteceu na igreja de São José dos Manguinhos

Nomeação de Padre Luciano Brito como novo vigário geral da Arquidiocese de Olinda e RecifeNomeação de Padre Luciano Brito como novo vigário geral da Arquidiocese de Olinda e Recife - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A Arquidiocese de Olinda e Recife (AOR) ganhou nesta sexta-feira (16) um novo vigário geral: o padre Luciano José Rodrigues Brito, de 45 anos, atual pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, do bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. A posse do sacerdote aconteceu na igreja de São José dos Manguinhos, no bairro das Graças, na área central do Recife.

Com a nomeação feita por dom Fernando Saburido, a AOR passa a ter dois vigários gerais. Além de padre Luciano, o monsenhor Lino Duarte ajuda o arcebispo em questões pastorais e administrativas. A eleição de vigários gerais é garantida pelo cânon 409 do Código de Direito Canônico da Igreja Católica, que prevê a escolha de vigários para auxiliar os bispos. Até dezembro do ano passado, a Arquidiocese tinha três vigários gerais.

Leia também:
Bispo auxiliar de Olinda e Recife é nomeado primeiro bispo de nova diocese na Bahia
[Fotos] Campanha da Fraternidade pede superação da violência


Porém, com a saída de dom Antônio Tourinho Neto, até então bispo auxiliar, para a nova diocese de Cruz das Almas, na Bahia, e de dom Severino França, por motivos de saúde, havia restado apenas o monsenhor Lino na função.

O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, afirmou que a função de vigário geral é importantíssima, pois é aquele que está diretamente ligado ao bispo, sendo seu braço direito. "A Arquidiocese é muito grande, tem mais de quatro milhões de habitantes. Precisamos ter não apenas um, mas mais de um. Com a saída de dom Antônio Tourinho e também de dom Severino, precisamos colocar mais um e o padre Luciano aceitou esse encargo", disse.

Dom Fernando falou ainda sobre a expectativa para a chegada de um novo bispo auxiliar. "Vamos torcer para chegar o quanto antes um novo bispo auxiliar, para ajudar na caminhada da Arquidiocese, que é muito grande", completou.

Entre as funções delegadas aos vigários gerais estão assinaturas de documentos, administração do sacramento da Crisma e representação do arcebispo em visitas pastorais nas paróquias localizaddas no território da Arquidiocese de Olinda e Recife.

A cerimônia contou com a presença do governador Paulo Câmara e da primeira-dama Ana Luiza, juntamente com Renata Campos, a vice-primeira-dama Luiza Nogueira e a deputada Terezinha Nunes. Câmara reiterou a parceria do Governo com a Igreja. "É um reforço importante nas ações da Igreja Católica no Estado. Eu, como governador de Pernambuco, quero fazer muitas parcerias com a Igreja, pois sabemos da importância do seu trabalho e da forma humanitária como atua", pontuou.

Padre Luciano Brito
Aprovado em conselho episcopal, padre Luciano Brito assume a função como o mais jovem vigário geral a servir na AOR. Ordenado em 2002 pelo então arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, ele não deixará a paróquia Nossa Senhora de Fátima, mas será desligado da diretoria executiva da Rádio Olinda e da presidência da Comissão Arquidiocesana de Pastoral para a Comunicação. Segundo a assessoria da Arquidiocese, um novo nome para os cargos será anunciado por dom Fernando em breve.

"É uma inovação. A tradição aqui é colocar vigários gerais de uma idade mais avançada. Estamos inovando colocando uma pessoa mais jovem e com mais dinamismo para assumir essa missão. Vamos rezar por padre Luciano, para que de fato, ele corresponda a essa expectativa e possa ajudar a Arquidiocese a caminhar nessa linha missionária", finalizou dom Fernando Saburido.

Veja também

Putin enfrenta 4º desafio ao poder da Rússia em ex-repúblicas soviéticas no ano
Rússia

Putin enfrenta 4º desafio ao poder da Rússia em ex-repúblicas soviéticas no ano

ONU: vacina será insuficiente para enfrentar devastação do coronavírus
Coronavírus

ONU: vacina será insuficiente para enfrentar devastação do coronavírus