MUNDO

Ataques israelenses matam ao menos dois civis perto de Damasco

Israel realizou sete ataques aéreos nas Síria desde o início do ano

Foto: Hazem Bader/AFP

Pelo menos dois civis foram mortos em ataques israelenses nesta segunda-feira perto de Damasco, informou a agência oficial de notícias síria SANA.

Os "sistemas de defesa interceptaram a maioria dos mísseis", mas "dois civis foram mortos e houve danos materiais", nestes ataques realizados na madrugada de segunda-feira contra posições ao sul de Damasco, informou a agência sem dar mais detalhes e citando fontes militares.

De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH), os ataques tiveram como alvo "um depósito de armas e munições nas mãos de milícias apoiadas pelo Irã perto do aeroporto de Damasco".

Desde o início do ano, Israel realizou pelo menos sete ataques aéreos na Síria, segundo a ONG, acrescentando que essas incursões mataram dois soldados sírios e quatro milicianos apoiados pelo Irã em fevereiro.

Desde o início da guerra na Síria, há quase 11 anos, Israel realizou centenas de ataques aéreos no país vizinho, contra posições do exército e combatentes do Hezbollah e de outras milícias apoiadas por Teerã.

Israel raramente comenta esses ataques, mas seus líderes declararam repetidamente que não permitirão que seu inimigo, o Irã, intensifique sua influência na Síria. 

Iniciada em 2011 após a repressão às manifestações pró-democracia, a guerra na Síria tornou-se mais complexa ao longo dos anos, com o envolvimento de outros países e a participação de jihadistas.

Até agora, o conflito matou cerca de 500 mil pessoas, devastou a infraestrutura do país e forçou o deslocamento de milhões de pessoas.

Veja também

Dia Nacional do Diabetes: pacientes buscam qualidade de vida
saúde

Dia Nacional do Diabetes: pacientes buscam qualidade de vida

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA
Política

Ministro da Justiça diz que não conversou com Bolsonaro sobre investigação da PF em viagem aos EUA