Alta da Covid-19

Atendimentos do Samu aumentam no Recife, e mais jovens e adultos vêm sendo socorridos

Média de atendimentos cresceu especialmente nos últimos sete a dez dias, segundo o coordenador do serviço de urgência

Ambulância do Samu RecifeAmbulância do Samu Recife - Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Com a aceleração da pandemia de Covid-19, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Recife observa um aumento no número de atendimentos a pacientes com problemas respiratórios. Há ainda uma maior procura de pessoas mais jovens e adultos, principalmente homens, a partir dos 40 anos, com a forma mais grave da doença.

Apenas na última terça-feira (2), foram registrados 44 atendimentos por causas respiratórias na capital pernambucana. 

Os números demonstram o momento de subida de casos, segundo o coordenador geral do Samu Recife, Leonardo Gomes.

"Estamos vivendo um momento de aceleração dos casos novamente. Percebemos que a média móvel de chamados vem subindo", explicou o coordenador. 

Além do aumento de atendimentos, o Samu ainda registra uma mudança no perfil dos pacientes acometidos com os problemas respiratórios. Se antes a maioria dos atendimentos era para pacientes mais idosos, agora, mais jovens e adultos vêm acionando o serviço de urgência.

"Continuamos com idosos, mas percebemos hoje um maior número de pessoas jovens acionando o serviço, mais homens que chamam e na forma mais grave. São pessoas que adoeciam de forma mais leve ou assintomática antes e agora passam a ter maior gavidade, com cansaço, falta de ar, insuficiência respiratória", acrescentou Leonardo.

De acordo com o coordenador, o aumento de atendimentos na capital pernambucana foi especialmente visto nos últimos dias. 

"O que aconteceu no final do ano e no início do ano, era que havia uma subida mais lenta, mas nos últimos sete, dez dias, a subida vem se mostrando constante. Isso mostra uma aceleração no contágio da pessoas, um maior número de pessoas adoecendo e buscando o atendimento do Samu", acrescentou Leonardo Gomes.

Em comparação aos primeiros dias de 2021, o aumento é notório. Entre 1º de janeiro e 10 de fevereiro, a média de atendimentos, segundo Leonardo, era de 10 a 15 atendimentos por dia. 

No primeiro pico da pandemia, entre abril e maio, o Samu chegou a registrar até 90 atendimentos em um único dia.

"Isso nos preocupa, é a realidade que estamos vivendo, que leva a um risco muito maior de colapso no sistema de Saúde. O Samu sofre com isso porque você pode ter o perigo de ter pessoas doentes dentro da ambulância e não termos onde deixar", acrescentou o coordenador do Samu.

Ambulâncias e equipe
Com o aumento nos atendimentos, o Samu precisou reforçar o total de ambulâncias disponíves. Desde o último domingo (28), 30 carros estão nas ruas para atender aos chamados - é o mesmo número usado no primeiro pico da pandemia.

"Historicamente, o Samu Recife sempre teve 21 ambulâncias. No início da pandemia, eram 30, retornamos a 26, o que tínhamos até domingo e agora retomamos o plano que usamos ano passado dado a escalada de chamados", completou Leonardo Gomes.

Atualmente, o Samu Recife conta com 720 profissionais. Desde o início da pandemia foram contabilizados 500 adoecimentos pelo coronavírus.

Uma técnica de enfermagem do serviço morreu, em 15 de fevereiro, após passar nove meses internada em um hospital de Olinda. Ela sofreu com as complicações da Covid-19 e não resistiu.

Desde o mês passado, toda a linha de frente do Samu Recife foi vacinada.

Coronavírus no Recife
Segundo os últimos dados divulgados pela Secretaria de Saúde do Recife (Sesau), o Recife acumula 74.732 casos confirmados de Covid-19 desde março do ano passado, quando a doença teve início na Cidade. No boletim de quarta-feira (3), foram notificados 548 casos, sendo 513 leves e 35 de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

No mesmo boletim, a Sesau confirmou a morte de mais de 12 pessoas, sendo cinco mulheres e sete homens, ocorridas entre os dias 17 de dezembro de 2020 e a última segunda-feira (1º). Agora, o município totaliza 3.086 mortes por causa da Covid-19. A atualização ainda aponta um total de 70.523 pacientes recuperados da doença.

 

Veja também

Em dois anos Brasil apreende 114 milhões de maços de cigarro oriundo de contrabando
Fiscalização

Em dois anos Brasil apreende 114 milhões de maços de cigarro oriundo de contrabando

Mortes de grávidas e puérperas por Covid-19, no Brasil, dobram em 2021
Pandemia

Mortes de grávidas e puérperas por Covid-19, no Brasil, dobram em 2021