Aterro começa a cumprir exigências

O representante da empresa declarou ainda que está em curso a implantação de um projeto de reaproveitamento de resíduos, de modo a diminuir ainda mais os impactos

Aterro Sanitário CTR-PEAterro Sanitário CTR-PE - Foto: Leo Motta/Arquivo Folha de Pernambuco

 

A Central de Tratamento de Resíduos (CTR-PE) de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, divulgou algumas das medidas que pretende tomar para preservar a fauna e a flora do rio Jardim, que alimenta a adutora Arataca, uma das responsáveis pelo fornecimento de água para municípios como Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e parte da Zona Norte do Recife. De acordo com o diretor administrativo da empresa, Eduardo Oliveira, serão instaladas duas telas de retenção e uma escada hidráulica no córrego onde os moradores do assentamento Engenho Ubu registraram, em vídeo, descarte de materiais de plástico.
Segundo Oliveira, a denúncia foi recebida com surpresa pela diretoria do aterro. Ele diz que a fiscalização da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) sobre as práticas da CTR-PE é firme e constante. “Somos fiscalizados com bastante rigor pela CPRH. Eles pediram para a gente limpar o local e colocar uma escada hidráulica para minimizar o impacto da força da água no solo, para que ela chegue mais suave no rio. A gente está bastante tranquilo porque a gente tem um jeito de trabalhar”, afirmou.
O representante da empresa declarou ainda que está em curso a implantação de um projeto de reaproveitamento de resíduos, de modo a diminuir ainda mais os impactos. “O que puder ser reusado, será; o que puder ser reciclado, será, e só vamos mandar para o aterro o que não servir para nada, os rejeitos”, concluiu.

 

Veja também

Saiba como denunciar 'fura-filas' de vacinação contra Covid-19 em Pernambuco
Denúncia

Saiba como denunciar 'fura-filas' de vacinação contra Covid-19 em Pernambuco

Confaz aprova isenção do oxigênio hospitalar
Coronavírus

Confaz aprova isenção do oxigênio hospitalar