Av. Presidente Kennedy, em Olinda, vai passar por obra de requalificação

Para a execução da reforma, serão destinados R$ 20 milhões, com liberação da Caixa Econômica Federal

Professor Lupércio apresentou obra em coletivaProfessor Lupércio apresentou obra em coletiva - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Durante décadas, alagamentos, acidentes e desordenamento urbano fazem parte da rotina de moradores, motoristas e transeuntes da Avenida Presidente Kennedy, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR). A Prefeitura da cidade apresentou, ontem, o projeto de reestruturação dos 4,4 quilômetros da via, incluindo as ruas do entorno.

A avenida, que é um dos maiores corredores de mobilidade do município - com o tráfego de seis mil veículos -, corta cinco bairros de Olinda: Vila Popular, Peixinhos, Jardim Brasil, Aguazinha e São Benedito. A Caixa Econômica Federal liberou R$ 20 milhões em recursos para a execução das etapas das obras, com início previsto para o dia 2 de janeiro de 2020.

O projeto foi elaborado pelo Governo do Estado. No momento, a requalificação está em processo de licitação, por meio de edital: “O município está com o financiamento previsto pela caixa econômica, no valor de R$ 20 milhões, nos qual não será específico para a Presidente Kennedy, que vai contar com R$ 16 milhões. Vão ser destinados aos retornos de quadra e as vias principais, que serão beneficiadas com a obra. Foi um projeto bem elaborado pelo governo do Estado, através da Cehab (Companhia Estadual de Habitação e Obras de Pernambuco), e com acompanhamento nosso e a participação do Grande Recife Consórcio de Transporte”, afirmou o secretário de obras de Olinda, Ricardo Rocha, explicando que tem previsão de execução em 12 meses.

Durante o período de obras, a gestão espera reestruturar os principais problemas encontrados pelos transeuntes: os alagamentos, o resgate do comércio local e a realocação do transporte público da via. “Um grande problema é quando alaga. Para quem é pedestre ou passa quase nadando ou não da pra passar. espero que resolvam nessa obra a situação dos esgotos e escoamento de água também. A mobilidade é outro problema. As paradas de ônibus no meio da pista só atrapalham e fica muito ruim pra atravessar e chegar”, conta a estudante de administração Alana Santana, de 25 anos, que usa a avenida diariamente como tráfego para a faculdade.

Obra vai mudar transporte público da região

Obra vai mudar transporte público da região - Crédito: Divulgação

 

Para solucionar a primeira parte, 15,5 quilômetros de tubulação de drenagem de águas das chuvas serão trocados, sendo 4,4 quilômetros de cada lado da via. Os outros 8,8 quilômetros de canos farão a conexão diretamente com o Rio Beberibe, onde as águas serão levadas. “É uma das obras mais importantes da nossa cidade. Vamos trocar toda a drenagem e a iluminação, que será toda em LED. Eu não tenho dúvida que a economia da cidade vai dar uma crescida”, enfatizou o prefeito Professor Lupércio.

O tráfego da via também vai ser alterado, principalmente, em relação ao funcionamento do transporte público da região. As paradas vão ser realocadas do canteiro central para o lado direito da via, junto à calçada. No local, trafegam 39 linhas de ônibus metropolitanas e sete municipais. “As mudanças serão por etapa. Primeiro, vão ser retiradas oito paradas. Depois a gente vai alterando o trânsito da região, mas estamos preparando um esquema de trânsito, com a atuação de agentes. As ruas que dão acesso à avenida serão utilizadas, como a Avenida Brasília, como alternativas", ressaltou o secretário de transportes e trânsito de Olinda, Jonas Ribeiro, sobre o funcionamento das etapas.


A obra prevê, também, a ampliação das calçadas em 1,5 metros e nova iluminação, com postes de LED. De acordo com a prefeitura, uma parte da obra vai requalificar as ruas Maria Sodré da Mota, Ceará, João Pessoa, Paraná, Cônego Xavier Pedrosa, Pará, Mato Grosso do Sul, Teresina e Avenida Brasília. Ao todo, serão destinados R$ 2 milhões para a requalificação delas.


Veja também

Sonda chinesa pousa na Lua para coletar amostras do solo
Espaço

Sonda chinesa pousa na Lua para coletar amostras do solo

Plano nacional de vacinação contra a Covid-19 no Brasil terá quatro fases
Coronavírus

Plano nacional de vacinação contra a Covid-19 no Brasil terá quatro fases