A-A+

Bandidos amarram idosa dentro de casa e roubam dinheiro e cartão de banco em Olinda

Mulher de 67 anos foi amarrada no pescoço e nos olhos. Criminosos estavam vestidos com roupas da Compesa, segundo a vítima

Crime ocorreu em Jardim AtlânticoCrime ocorreu em Jardim Atlântico - Foto: Cortesia/WhatsApp

Uma idosa de 76 anos passou por experiência de terror por volta das 10h desta quinta-feira (30) durante assalto na casa onde vive, no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife. Com o pescoço e olhos amarrados, a mulher teve roubados R$ 700 em espécie, o cartão da poupança com a senha e a chave da casa. 

Segundo relatos de vizinhos, a vítima, que mora sozinha na residência localizada à rua Citrita, mas costumeiramente recebia as duas filhas no local, não estava acompanhada no momento do crime. "Ela disse que viu um homem vestido com roupa da Compesa [Companhia Pernambucana de Saneamento] dentro do terreno da casa perguntando pelo registro de água", contou à reportagem do Portal FolhaPE um vizinho da vítima, que não quis se identificar.

Leia também:
Olinda adotará política de prevenção contra o novo coronavírus, avisa prefeito Lupércio
Suspeito morre após capotar carro roubado de motorista de aplicativo no Cabo


"Quando foi até ele, o homem anunciou o assalto, botou um lençol no rosto dela e bagunçou toda a casa. Eram dois homens vestidos com roupa da Compesa em um carro branco", continuou o vizinho. Instantes após o roubo, os vizinhos viram a idosa na rua chorando.

A violência na área desperta preocupação dos moradores, que vivem uma rotina de insegurança no bairro. "A violência está muito grande em Jardim Atlântico. Semana passada, invadiram a casa de outro vizinho e depois uma mulher foi esfaqueada na outra rua. É a terceira ocorrência em duas semanas", acrescentou o vizinho. 

A Polícia Militar de Pernambuco foi até o local do crime, mas os suspeitos não foram localizados e seguem foragidos. Os vizinhos se mobilizam para localizar câmeras de segurança nas redondezas para a identificação dos criminosos. A vítima deverá ir à delegacia para registrar um Boletim de Ocorrência.

Veja também

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI
CNI

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar
Direitos Humanos

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar