Beijo forçado e qualquer outro tipo assédio será considerado estupro, avisa chefe de polícia

A Polícia Civil terá dez pontos de atendimento, entre fixos e móveis; dois desses são de atendimento especializados para mulher e grupos vulneráveis

Joselito Kherle do Amaral, Chefe da Polícia CivilJoselito Kherle do Amaral, Chefe da Polícia Civil - Foto: Arthur Motta/ Folha De Pernambuco

No Carnaval de Pernambuco, não haverá espaço para passada de mão, puxões no braço e no cabelo e beijos forçados. O chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle do Amaral, avisou, nesta sexta-feira (9), que não será tolerado nenhum tipo de assédio e que atos deste tipo resultarão em prisão em flagrante. “O beijo forçado ou qualquer tipo de assédio, será classificado como estupro”, reforçou, em coletiva de imprensa sobre o esquema de segurança para o Carnaval realizada na Ponte Duarte Coelho. 

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), as polícias Civil e Militar estarão atentas a possíveis abusos contra mulheres. Também serão disponibilizados pontos de atendimento especializado no Recife e em Olinda para uma resposta mais eficiente contra os crimes.

“Temos a delegacia especializada da Mulher, em Santo Amaro, funcionando; em Olinda, o complexo na Escola Sigismundo Gonçalves vai atender, além das mulheres vítimas de violência doméstica e de assédio, também os grupos vulneráveis (pessoa idosa, negra, comunidade LGBT, vítimas de intolerância religiosa)”, informou o chefe da Polícia Civil.

Leia também:
Não é não: ações no Carnaval do Recife e de Olinda para minar o assédio contra a mulher!
Ensaio faz campanha contra o assédio no Carnaval
Campanha usa aplicativo de celular para denunciar assédio no Carnaval

Kehrle destacou que os policiais estarão preparados e atentos para autuar em flagrante quem cometer qualquer tipo de abuso. “As equipes já estão orientadas nesse sentido. Os autores desses crimes serão presos e autuados em flagrante”, frisou.

Campanha contra assédio


A Polícia Civil terá dez pontos de atendimento, entre fixos e móveis, com o objetivo de atender o folião e as ocorrências identificadas pela Polícia Militar durante os festejos. Os novos policiais civis, que se formaram na última segunda-feira (5), já serão utilizados para a segurança dos foliões. “Novos policiais civis já entraram em efetivo exercício. Somados aos que já estavam em atividade, conseguimos ampliar a atuação da Polícia Civil no Carnaval". 

 

Veja também

Faculdade nega vínculo descrito por Boulos ao explicar sua renda
Eleições SP

Faculdade nega vínculo descrito por Boulos ao explicar sua renda

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso
Covid-19

Centro de Testagem no Centro de Convenções segue com movimento intenso