Bergson pede paciência do torcedor em jogo na data da Batalha dos Aflitos

"Temos que colocar a alma na ponta da chuteira", citou atacante

Dani Portela (PSOL) participa de rodas de discussão com apoiadoresDani Portela (PSOL) participa de rodas de discussão com apoiadores - Foto: Divulgação

A partida que pode levar o Náutico de volta à Série A, contra o Oeste, será no dia 26 de novembro. Exatamente a mesma data da Batalha dos Aflitos, quando o Timbu foi derrotado pelo Grêmio nos Aflitos, em 2005, por 1x0 e com quatro jogadores a mais. Porém, para que a história seja diferente no próximo sábado, o atacante Bergson espera que a torcida seja otimista e esqueça as lembranças daquela partida.

“Todos nós somos um pouco torcedor. No momento que Rony pega na bola, sou um torcedor. Então, tem de ser otimista, esquecer lembranças ruins do passado. É ir para a Arena com o coração aberto independente do que aconteceu na Batalha. O pessoal que está aqui hoje quer fazer o melhor. Peço que todos possam ir de coração aberto porque os guerreiros em campo vão batalhar pelo melhor”, ressaltou o atacante alvirrubro.

Ainda de acordo com Bergson, os alvirrubros precisam também ter paciência quando a bola rolar na Arena de Pernambuco. O Oeste tem um estilo particular de atuar com troca de passes e que não deixa o adversário ter a posse. Embora não tenha a fórmula para inibir o adversário, o jogador acredita que o Náutico terá a obrigação de se impor em casa.


“Futebol é jogado e são 11 contra 11. Eles têm muita qualidade com a bola, até não entendo porque estão nessa situação. Não sei o segredo para controlá-los, mas tem de partir de cada um de nós em campo, da nossa torcida e do nosso estádio. Tudo tem de prevalecer. Respeitando a equipe do Oeste, mas colocando a alma na ponta da chuteira”, finalizou.

Veja também

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida
EUA

Em reta final, Trump e Biden levam luta eleitoral à decisiva Flórida

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp
Redes Sociais

Denúncias contra direitos humanos podem ser feitas via WhatsApp