Educação

Biblioteca do Centro da Juventude de Santo Amaro recebe doação de 240 livros da Fundaj

O centro social atende atualmente 110 jovens em situação de rua ou vulnerabilidade social, de 18 a 29 anos

Editora Massangana doa livros para biblioteca em Santo AmaroEditora Massangana doa livros para biblioteca em Santo Amaro - Foto: Divulgação

O Centro da Juventude de Santo Amaro, no centro do Recife, recebeu, nesta quinta-feira (21),  240 exemplares de obras da Editora Massangana, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Ao todo, 80 títulos passam a integrar o acervo da Biblioteca Ariano Suassuna, sediada no equipamento da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), do Governo de Pernambuco. O centro social atende atualmente 110 jovens em situação de rua ou vulnerabilidade social, de 18 a 29 anos.

Dentre os livors, foram doados lançamentos como como “Historicismos na arquitetura dos subúrbios recifenses: um recorte da Coleção Ecletismo”, de Rodrigo Cantarelli, e “Cotidianos afrodescendentes, de Cibele Barbosa e Sylvia Couceiro. Todos os autores são pesquisadores da Fundaj. Obras como “Trabalho precário no meio urbano: semáforos do Recife”, de Tarcisio Araújo, também estão entre os títulos doados.
 


Inaugurada em 2009, a biblioteca do Centro da Juventude estava desativada desde 2019. Com a retomada das atividades presenciais, ainda no contexto da pandemia da Covid-19, o espaço passou por uma reforma e agora recebe novos títulos para atrair leitores. 

Entrega de livros | Foto: Divulgação 

Além da Fundação, outras instituições têm doado títulos para compor o espaço. “A Biblioteca tem o caráter de atendimento de toda a comunidade de Santo Amaro. A grande perspectiva é de ter a literatura e os livros como recurso para a inclusão social”, explica o coordenador Igor Belchior.
 
A educadora social Daniele Pedrosa será a responsável pela biblioteca. Ela conta que há anos trabalha com temáticas de cidadania e estímulo à leitura. “Tem sido um desafio que estou adorando. Catalogar cada livro, ver cada título e história está sendo algo inestimável. Não tem valor que pague esse conhecimento e experiência”, divide, ao destacar obras que tratam sobre a realidade local e biografias. “É importante despertar nos jovens o interesse por outras culturas e facilitar que eles conheçam o mundo além do que vivenciam na rua ou dentro do seu ambiente familiar e social.” 

Veja também

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono
Política

Lembra quando Bolsonaro era o fascista?', questiona filho de John Lennon, Sean Ono

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava
Bonobos

Estudo indica que bonobos são mais agressivos do que se pensava

Newsletter