EUA

Biden considera 'esmagadoras' as evidências do julgamento da morte de George Floyd

Presidente dos EUA, Joe BidenPresidente dos EUA, Joe Biden - Foto: Brendan Smialowski/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta terça-feira (20) que as evidências no julgamento sobre a responsabilidade de um ex-policial branco na morte do afro-americano George Floyd são "esmagadoras".

"Rezo para que o veredito seja correto. Em minha opinião, é esmagador. Eu não diria isso se o júri não tivesse se retirado para deliberar", disse ele do Salão Oval.

"Conheci a família de George (...). É uma boa família", acrescentou, evocando "a angústia" sofrida pelos parentes enquanto aguardam a decisão do júri.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, relatou pouco antes no Twitter que Biden conversou com parentes de Floyd na segunda-feira.

"O presidente Biden falou com a família de George Floyd ontem (segunda-feira) para ouvir as notícias sobre eles e assegurar-lhes que estava orando por eles", disse Psaki.

O júri se retirou na segunda-feira para deliberar sobre a responsabilidade de Derek Chauvin, um ex-policial branco de 45 anos em seu julgamento por assassinato, homicídio culposo e violência intencional que resultou na morte de Floyd, que ele havia detido apoiado por outros policiais.

Chauvin se manteve ajoelhado sobre o pescoço de Floyd por mais de nove minutos enquanto o afro-americano de 46 anos estava deitado de bruços e algemado no chão.

Sua agonia, filmada por pedestres, gerou comoção internacional e manifestações de proporções históricas contra o racismo e a violência policial nos Estados Unidos e em vários países ao redor do mundo.

Os eventos ocorreram em 25 de maio de 2020 na cidade americana de Minneapolis.

O julgamento ocorre em meio a altas tensões e protestos diários de indivíduos e organizações civis após a recente morte de outro jovem negro nos arredores de Minneapolis.

Veja também

Procon-PE impede festa com mais de 400 pessoas em Jaboatão dos Guararapes
Pandemia

Procon-PE impede festa com mais de 400 pessoas em Jaboatão

Chile conclui eleição histórica em busca de maior equidade com uma nova Constituição
AMÉRICA LATINA

Chile conclui eleição histórica em busca de uma nova Constituição