DISCURSO NOS EUA

Em discurso, Biden critica 'ditador' Putin e proíbe aviões russos no espaço aéreo dos EUA

Ele deixou claro que não haverá tropas norte-americanas em campo na guerra iniciada na última quinta-feira.

Joe Biden em discursoJoe Biden em discurso - Foto: Saul Loeb/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, chamou nesta terça-feira (1º) o presidente russo, Vladimir Putin, de "ditador" que enfrenta um isolamento econômico e diplomático por ter invadido a Ucrânia, e alertou que o mundo enfrenta uma "batalha" entre a democracia e a autocracia.

Em seu primeiro discurso sobre o Estado da União ao Congresso, Biden elogiou o "muro de força" ucraniano que se manteve erguido contra os invasores russos, mas deixou claro que não haverá tropas americanas em campo na guerra iniciada na última quinta-feira.

"Permitam-me ser claro: nossas forças não estão envolvidas e não participarão do conflito com as forças russas na Ucrânia", afirmou o presidente democrata, que criticou duramente Putin.

"Um ditador russo que invade um país estrangeiro tem custos em todo o mundo", declarou. "Na batalha entre democracia e autocracia, as democracias estão à altura das circunstâncias e o mundo está claramente escolhendo o lado da paz e da segurança."

Os países ocidentais lançaram uma resposta econômica feroz à Rússia, com uma onda de sanções que ameaçam deixar de joelhos a economia daquele país. Mirando nos oligarcas russos e "líderes corruptos" que, segundo Biden, defraudaram bilhões de dólares no regime de Putin, o presidente americano disse que o Ocidente "irá se apoderar de seus iates, apartamentos de luxo e aviões privados.

"Iremos atrás dos seus ganhos ilícitos", ameaçou Biden, sob aplausos. O presidente também anunciou a proibição do uso do espaço aéreo americano por aviões russos, uma sanção importante, que já havia sido decidida pela União Europeia e pelo Canadá.

Segundo Biden, Putin subestimou a resposta poderosa que sua invasão à Ucrânia provocaria nas nações ocidentais, que impuseram sanções pesadas para infligir "dor" à economia russa.

"A guerra de Putin foi premeditada", afirmou o democrata. "Ele rejeitou as tentativas de diplomacia. Achou que o Ocidente e a Otan não responderiam. E achou que poderia nos dividir aqui em casa. Mas Putin estava errado. Estávamos prontos,"

Biden elogiou especialmente os ucranianos que enfrentaram os russos apesar da ofensiva militar avassaladora. Putin "achou que poderia entrar na Ucrânia e o mundo cairia. Em vez disso, ele se deparou com um muro de força que nunca antecipou ou imaginou", disse Biden. "Conheceu o povo ucraniano."

Em um momento de união bipartidária, os congressistas americanos aplaudiram de pé a Ucrânia, dirigindo-se à embaixadora daquele país em Washington, Oksana Markarova, que estava sentada ao lado da primeira-dama, Jill Biden.

Veja também

Número de casos de dengue grave mais do que dobra no País; saiba quais são os sinais de alarme
Dengue

Número de casos de dengue grave mais do que dobra no País; saiba quais são os sinais de alarme

Suspeito de destruir carro usado no assassinato de Marielle é preso
Marielle

Preso suspeito de destruir carro usado no assassinato de Marielle