A-A+

Big diz que nunca deixou de pagar tratamento e que Débora pediu curso em Harvard

Empresa divulgou comunicado oficial nesta sexta-feira (17) após ser multada em R$ 5 milhões pelo Procon de Pernambuco

Débora participou de reunião com o governador Paulo CâmaraDébora participou de reunião com o governador Paulo Câmara - Foto: Lidiane Mota/Folha de Pernambuco

Em comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira (17), o Grupo Big informou que Débora Dantas, através de seu advogado, apresentou uma lista de pleitos "que não guardam nenhuma relação com o acidente ou com a sua saúde".

Segundo o texto da empresa, responsável pela administração do Big Bompreço - chamado de Walmart na época do escalpelamento que arrancou o couro cabeludo da jovem no estacionamento de um supermercado da Zona Sul do Recife - foram pedidos itens como o financiamento de um curso de Medicina na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos; o custeio de um plano de saúde internacional; uma casa na cidade americana de Longwood; e o pagamento de 10 milhões de dólares.

"Foi nessa oportunidade, ainda por meio do seu então advogado, que Débora sinalizou interesse em seguir nos Estados Unidos", disse a empresa. Segundo o Grupo Big, as manifestações foram recebidas com surpresa. "[As manifestações] não correspondem à verdade nem representam a conduta que o Grupo Big tem adotado desde o início", acrescenta o texto. 

Leia também:
Big Bompreço e Adrenalina Kart Racing devem custear o tratamento de Débora
Empresa parou de custear tratamento, diz advogado de Débora, vítima de acidente com kart


Nessa quinta-feira (16), o Big foi multado em R$ 5 milhões pelo Procon de Pernambuco após Débora alegar que a empresa deixou de custear seu tratamento. A Adrenalina Kart Racing, responsável pela pista onde ocorreu o acidente, também deverá pagar R$ 5 milhões aos cofres públicos.

Na sequência do comunicado, o Grupo Big diz que nunca se negou a pagar o tratamento da jovem. "O Grupo Big vem a público reiterar - como já havia feito diretamente a Débora - que não se nega, nem se negou, a seguir custeando totalmente o tratamento de Débora junto ao Hospital Especializado de Ribeirão Preto".
O Portal FolhaPE tenta contato com o advogado de Débora Dantas e aguarda seu retorno para repercutir o comunicado divulgado pelo Grupo Big.

Leia o comunicado do Grupo Big na íntegra:
Em virtude da repercussão do acidente envolvendo Débora Stéfany Dantas de Oliveira, o Grupo Big esclarece que jamais se negou, nem se negará, a custear os procedimentos necessários à plena recuperação da sua saúde. A empresa recebeu com surpresa as manifestações dela e de seu advogado, que não correspondem à verdade nem representam a conduta que o Grupo Big tem adotado desde o início.

O acidente ocorreu nas dependências do circuito Adrenalina Kart Racing, empresa desvinculada do Grupo Big, locatária do espaço onde operava o circuito. Independente de o fato ter acontecido em área usada por terceiro e, portanto, ser integralmente de responsabilidade deste, o Grupo Big prontificou-se a amparar Débora desde o primeiro momento, arcando com todos os custos de seu tratamento, sem medir esforços e sem nenhuma limitação de valores.

Até o momento, o tratamento foi realizado com êxito no Hospital Especializado de Ribeirão Preto, instituição referência em cirurgias de alta complexidade. Em outubro de 2019, foi concluída a primeira etapa do tratamento e iniciaram-se conversas entre o seu representante legal e o Grupo Big sobre a segunda etapa do tratamento, a se realizar ao longo de 2020.

Por intermédio do seu advogado, Débora então apresentou um lista de pleitos que não guardam nenhuma relação com o acidente ou com a sua saúde, como: financiamento de curso preparatório de sua escolha, em qualquer lugar do mundo; financiamento do curso da Universidade de Medicina de Harvard; custeio de plano de saúde internacional; casa em Longwood, nos EUA; e pagamento do valor de 10 milhões de dólares. Foi nessa oportunidade, ainda por meio do seu então advogado, que Débora sinalizou interesse em seguir com o seu tratamento nos Estados Unidos.

A consulta médica prevista para o dia 6 de janeiro no Hospital de Ribeirão Preto acabou, em razão desses fatos, não sendo confirmada por Débora, que sempre realizou os agendamentos de acordo com a sua conveniência.

O Grupo Big segue aguardando a definição de Débora a respeito da continuidade do seu tratamento em Ribeirão Preto, tendo em vista que a plena recuperação da sua saúde sempre foi prioridade da empresa. No entanto, as únicas manifestações por parte de Débora são aquelas veiculadas por meio da imprensa.

Em razão disso, o Grupo Big vem a público reiterar — como já havia feito diretamente a Débora — que não se nega, nem se negou, a seguir custeando totalmente o tratamento de Débora junto ao Hospital Especializado de Ribeirão Preto.

Grupo Big responde ao Procon
Em nota divulgada nesta sexta-feira (17), o Procon de Pernambuco informou que o Grupo Big respondeu à notificação expedida pelo órgão na última segunda-feira (13). No documento, a empresa informou que seguirá custeando a segunda etapa do tratamento médico junto à equipe médica do Hospital Especializado de Ribeirão Preto/SP. A rede de varejo irá arcar com o valor de R$ 300 mil para a conclusão da segunda etapa.

Confira a nota do Procon na íntegra:
O Procon-PE informa que o Grupo BIG respondeu a notificação expedida pelo pelo órgão na última segunda-feira (13/01) solicitando esclarecimentos quanto à continuidade do custeio do tratamento da jovem Débora Dantas, que teve seu couro cabeludo escalpelado em um acidente de Kart, no ano passado, no Recife.

No documento, o Grupo informa que seguirá custeando a segunda etapa do tratamento médico junto a equipe médica de Ribeirão Preto - SP, arcando com o valor de R$ 300 mil da equipe médica para a conclusão da segunda etapa. O BIG também informou que irá monitorar o andamento dos cuidados prestados, arcando com os custos dos medicamentos necessários, além de custear as passagens aéreas, hospedagens e refeições, inclusive do acompanhante de sua escolha.

O Procon-PE informa, ainda, que referente a multa de R$ 5 milhões o Grupo BIG também apresentou defesa e o processo seguirá o rito ordinário do órgão.

Veja também

Primeiro voo há 115 anos: Santos Dumont aliou invenções à ciência
História

Primeiro voo há 115 anos: Santos Dumont aliou invenções à ciência

Navegue na edição digital da FolhaMais deste fim de semana
Edição digitaçl

Navegue na edição digital da FolhaMais deste fim de semana