A-A+

Biodança: psicologia e dança promovem equilíbrio psíquico

Atividade induz vivências integradas por meio da música e dança, atuando com movimentos naturais do corpo provocados pela musicalidade

Conexão e terapia, a biodanza faz com que a expressão alivie tensões do cotidianoConexão e terapia, a biodanza faz com que a expressão alivie tensões do cotidiano - Foto: Ed Machado / Folha de Pernambuco

Movimento, liberdade e terapia. Biodança (ou biodanza) é uma atividade terapêutica que induz vivências integradas por meio da música e dança, atuando com movimentos naturais do corpo provocados pela musicalidade. O nome da terapia faz referência ao grego bio (vida) e ao espanhol danza (dança), ao pé da letra, “dança da vida”.

A prática é uma mistura de dança e psicologia, com as aulas realizadas sempre em grupo e que atentam para o movimento, o olhar e o toque físico. A "dança da vida", então, promove um equilíbrio entre o estado psíquico e físico de seus praticantes.

Criada pelo antropólogo e psicólogo chileno Rolando Toro, por isso o nome “biodanza” é mundialmente reconhecido, a prática foi traduzida pelo português no Brasil por uma facilidade de divulgação e, também, por determinação do Ministério da Saúde. “Temos uma federação que organiza e unifica, no mundo todo, as escolas que facilitam a prática. O nome está registrado com “ç” no Brasil por causa do cadastro no Ministério da Saúde, que não aceita língua estrangeira”, explicou a facilitadora de biodança, Lorena França de Oliveira.



Leia também:
Constelação familiar: processo terapêutico que revela os movimentos da alma
Depressão: psicóloga dá dicas de como ajudar quem sofre da doença
Janeiro Branco: alimentos importantes para uma boa saúde mental


A biodança faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2017. Na portaria, a biodança é descrita como um sistema de integração humana, de renovação orgânica, de integração psicofísica, de reeducação afetiva e de reaprendizagem das funções originais da vida. Para o Ministério da Saúde, a atividade se configura como um sistema de aceleração dos processos integrativos existenciais, produzindo efeitos na saúde.

As práticas de biodança demoram, em média, 2h30, por isso o interessado precisa de uma disponibilidade de ficar esse tempo para realizar a aula que vai trabalhando aos poucos a expressão pelo som e depois pela dança, que é quando a música entra. Daí diversos exercícios individuais, em dupla e em grupo são direcionados por músicas dramáticas, calmas, e alegres. A atividade se guia de uma forma natural, na qual o som vai se tornando comum no ambiente e a dança pode ser o que a pessoa achar e conseguir fazer, sem passos programados ou padronizados.

A fisioterapeuta Sibele Carvalho, 43, pratica biodanza na Escola de Biodanza Sistema Rolando Toro, no Bairro do Recife. Para ela, a atividade tem um reflexo na vida social e física de quem a desenvolve. “Quando você leva uma vivência dessas para uma pessoa você nota o benefício em toda a vida da pessoa, nas suas relações, no seu trabalho, no seu bem-estar”, explicou. Sibele explicou que indica a atividade não só para seus pacientes, mas também para qualquer pessoa. “Essas práticas integrativas substituem, muitas vezes, algo que pode nos levar a ter uma dependência com um medicamento”, salientou.

[PODCAST] A psicóloga e especialista em biodança Lucia Helena Ramos, convidada do Viver Bem, explica que a prática está dividida em cinco linhas de vivências que trabalham a vitalidade, sexualidade, criatividade, afetividade e transcendência.



 A escola em que Sibele faz aulas de biodanza é dirigida por Lúcia Helena Ramos, que faz questão de manter o nome com o grafismo original, por ter um maior compromisso em expressar o nome do criador da prática. Lúcia aprendeu a exercer a terapia diretamente com Rolando Toro e, para ela, a biodanza entende que a prática em grupo fortalece a identidade de cada um. “A biodanza bebe na área teórica da psicossomática, ela é interdisciplinar e entende que a antropologia, a educação e a psicologia tornam o conteúdo do indivíduo muito mais sistêmico. São teorias que a gente vai utilizando e vê o indivíduo dentro de um contexto, isso que é biodanza”, explicou.

Auríbio Farias, facilitador de biodanza, ainda participa de rodas da atividade. Para ele, encaminhar outras pessoas na atividade não a faz desnecessária. “Participo de outros grupos, sem ligação com os círculos que oriento, mas a atividade não pode deixar de ser feita”, contou. A prática integrativa não necessita de um fim, de um encerramento, de uma alta. O objetivo dela é fazer com que as expressões do que se vivencia durante o dia, o trabalho, a vida e o amor façam parte de algo que sai do corpo, que não fica guardado. Por isso, a “dança da vida” tem, por finalidade, aliviar as tensões do cotidiano e facilitar o passar dos sentimentos não trabalhados no dia a dia.

#vidaplenajaymedafonte

Serviço
Onde encontrar biodança no Recife:

Serviço Integrado de Saúde (SIS)
R. Lindolfo Color, 65 - Engenho do Meio, Recife - PE
Agendamentos pela manhã, de segunda-feira a quinta-feira
Valor: Gratuito

Centro de Biodança de Pernambuco
R. Líbia Castro Assis, 59 - 101 - Boa Viagem, Recife - PE
Agendamentos: (81) 99168-0383
Valor: R$ 220

ÍCONE - Desenvolvimento Humano
R. Padre Anchieta, 449 - Madalena, Recife - PE, 50710-430
Agendamentos: (81) 99168-0383
Valor: R$ 220

Escola de Biodanza Sistema Rolando Toro - PE
Museu de Artes Afro-Brasil, R. Mariz e Barros - Recife, PE
Agendamentos: (81) 999708970 / (81) 30302994
Valor: R$ 160

Veja também

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI
CNI

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar
Direitos Humanos

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar