Blitz alerta motoristas sobre como evitar conflitos no trânsito

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o quinto país do mundo em mortes no trânsito; parte dos acidentes são causados por conflitos entre condutores

Operação Prevenção: Segundos que Salvam Vidas, do DetranOperação Prevenção: Segundos que Salvam Vidas, do Detran - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Para evitar conflitos no trânsito, o Detran realizou uma ação de conscientização voltada para os condutores. A Operação Prevenção: Segundos que Salvam Vidas traz informações que podem ser vitais para que os motoristas exerçam uma condução tranquila e pacífica, evitando a ocorrência de brigas de transito e complicações como surgimento de fobias de trânsito e outros transtornos.

Como parte das intervenções, foi realizada uma ação não punitiva na Avenida Governador Agamenon Magalhães, uma das mais movimentadas do Recife. Na ação, agentes de trânsito e profissionais da psicologia passaram informações e orientações para os condutores.

Segundo Juliana Guimarães, presidente da Associação Brasileira de Psicologia de Tráfego de Pernambuco (Abrapsit-PE), o Brasil é o quinto país do mundo com maior incidência de acidentes de trânsito. Somados aos problemas de trânsito como engarrafamentos, imprudência e desrespeito, a instabilidade psicológica é potencializada. "As pessoas têm stress, atropelos da vida que justificam pequenas impaciências e vão crescendo. Como o trânsito é obrigatório na vida de muitos, ele, por vezes, nos pega em momentos que não são de nossa escolha. A pessoa pode estar com sono, com dores, com problemas em casa, estas pessoas estão mais sucessíveis a reações emocionais mais fortes", afirma a psicóloga.

Para que os problemas pessoais não resultem em situações de conflito no trânsito, a psicóloga orienta o uso de técnicas de relaxamento, que, segundo ela, variam de acordo com cada indivíduo. As técnicas vão desde exercícios ao uso de músicas, que podem evitar que a pessoa se estresse com o trânsito.

Leia também:
Uber lança serviço para que motoristas mulheres aceitem apenas passageiras
Obra da Compesa altera trânsito em Candeias
Acidente entre dois carros deixa quatro mortos na BR-104, no Agreste

No Brasil, aproximadamente 3% da população tem um quadro chamado transtorno explosivo intermitente (TEI), uma fúria exagerada difícil de ser controlada e poder gerar o chamado Road Rage (termo em inglês utilizado para designar comportamentos agressivos no trânsito). Segundo a psicóloga, apesar de ser negligenciado, o tratamento de transtornos psicológicos poderia contribuir significativamente para uma diminuição dos casos de acidentes de trânsito, que vitimam mais de 50 mil pessoas por ano no Brasil.

"A CNH (Carteira nacional de habilitação) é uma concessão, o motorista tem que renová-la e só pode fazer isso se tiver condições de saúde. Quanto mais cedo houver uma identificação de problemas psicológicos, menos pessoas tendem a sofrer com quadros mais graves", completa Juliana.

Entre as orientações passadas pelo Detran estão a evitação do uso do celular no trânsito (tanto por pedestres quanto por motoristas), que, segundo o órgão, aumenta em 400% a chance de acidentes. Não conduzir veículos sob efeitos de álcool. Evitar dirigir com sono e seguir regras de condução fundamentais, como ligar a seta e nunca fechar cruzamento. O órgão também orientou para que os pedestres sejam sempre respeitados, principalmente se estiverem na faixa, onde eles têm prioridade mesmo com o sinal aberto.

Stephan Araújo, agente de trânsito e instrutor da campanha recomenda a prática da direção defensiva. "É importante que os motoristas não tentem ser o 'pole position' sempre. É preciso que haja um maior respeito, principalmente com os veículos menores. Dessa forma, podemos ter um trânsito mais coordenado", orienta Araújo.

Para quem transita pelas vias do Recife diariamente, as complicações causadas por conflitos no trânsito são comuns. O agente de limpeza urbana Sebastião Silva, 50, sofre constantemente com problemas de trânsito. "As pessoas conhecem as leis, mas não respeitam o próximo, não têm empatia. Ações como essa são imprescindíveis para mostrar que as pessoas passem a cumprir com as obrigações", disse o motoqueiro.

Veja também

Apesar de pressão, sindicatos de professores não conseguem impedir reabertura de escolas no País
Educação

Apesar de pressão, sindicatos de professores não conseguem impedir reabertura de escolas no País

Letalidade da Covid-19 no Brasil está em torno de 3%
Coronavírus

Com quase 137 mil mortos pela Covid-19, Brasil tem taxa de letalidade em torno de 3%