Bloqueios nas estradas causam prejuízo de R$ 6,6 bi para produtores

Segundo a CNA, há registros de animais morrendo nas estradas, além de desperdício de hortaliças e de leite. O prejuízo deve ficar ainda maior, segundo a entidade, já que se levará tempo até que a situação fique normalizada - o que pode levar de seis meses

CNA encaminhou ofícios solicitando, aos Ministérios da Defesa e da Segurança Pública, que sejam feitas escoltas para o transporte de produtos perecíveis, carga viva e insumos para garantir o abastecimento dos produtoresCNA encaminhou ofícios solicitando, aos Ministérios da Defesa e da Segurança Pública, que sejam feitas escoltas para o transporte de produtos perecíveis, carga viva e insumos para garantir o abastecimento dos produtores - Foto: Agência de Notícias do Paraná/Divulgação

Os protestos dos caminhoneiros – que nesta quarta-feira (30) entram no 10º dia – resultaram em um prejuízo de R$ 6,6 bilhões para os produtores rurais, informou a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O valor abrange as perdas relativas ao chamado Valor Bruto da Produção (VBP), que mede a estimativa de faturamento bruto na produção. Por meio de nota, a CNA informou que este prejuízo é “apenas na produção primária, sem considerar ainda o processamento, as indústrias e a parte de insumos, que estão tendo prejuízos severos”.

O prejuízo deve ficar ainda maior, segundo a entidade, já que se levará tempo até que a situação fique normalizada - o que pode levar de seis meses a um ano, prazo que, segundo a entidade, será o necessário para que os produtores se reestruturem. Diante desse cenário, a CNA alerta sobre a possibilidade de “caos extremos”, caso os bloqueios continuem.

Ainda segundo a nota, há registros de animais morrendo nas estradas, além de desperdício de hortaliças e de leite.

Leia também:
Mercado acumula prejuízos em vários setores em PE
Em Pernambuco, setor de avicultura estima prejuízo diário de R$ 5 milhões
Prejuízos no campo: leite, suínos e aves são os mais fragilizados, diz Cepea
Vale do São Francisco contabiliza prejuízo de mais de R$ 500 milhões


Diante desse cenário, a CNA encaminhou ofícios solicitando, aos Ministérios da Defesa e da Segurança Pública, que sejam feitas escoltas para o transporte de produtos perecíveis, carga viva e insumos para garantir o abastecimento dos produtores.

Na semana passada, caminhoneiros fizeram bloqueios em diversas rodovias para pedir, entre outras coisas, a redução do valor do diesel. Apesar de acordo fechado com o governo, os motoristas ainda mantêm pontos de concentração em diversas estradas pelo país.

Veja também

Igreja, restaurantes e lojas são autuados em fiscalizações do Procon-PE
Pandemia

Igreja, restaurantes e lojas são autuados em fiscalizações do Procon-PE

Chuvas deixam dois mortos e mais de 185.500 afetados na Guatemala
Desastre

Chuvas deixam dois mortos e mais de 185.500 afetados na Guatemala