Bolsonaro diz que rompimento poderia ser evitado e que caso pode ser mais grave do que se espera

Presidente recordou o ocorrido em Mariana, em 2015, e se comprometeu em minimizar tragédia

Presidente da República, Jair BolsonaroPresidente da República, Jair Bolsonaro - Foto: Isac Nóbrega/PR

Em entrevista a uma rádio de Brumadinho, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o rompimento da barragem da cidade poderia ser evitado. "A gente lamenta profundamente o ocorrido, a gente sabe que, a princípio, esse tipo de acidente pode ser evitado sim, nós temos só em MG em torno de 450 represas que acumulam esses resíduos aí que vêm da mineração", afirmou.

Bolsonaro voltou a lamentar o rompimento de uma barragem e disse que gravidade do caso pode ser superior à esperada. "Dado o ocorrido, lamentamos mais uma vez e há a possibilidade sim de ser mais grave do que se está pensando porque atingiu sim o reservatário de funcionários da Vale", afirmou em entrevista à Rádio Regional de Brumadinho 87.9 FM.

Segundo ele, o desastre ocorrido em Mariana em 2015, quando uma barragem de mineração se rompeu, deveria servir de alerta para evitar novos casos. "Ficaremos antenados 24 horas por dia para prestar informações, para colher informações também, de modo que nós possamos minimizar mais essa tragédia depois da de Mariana, que a gente esperava que não tivesse uma outra até por uma questão de servir de alerta aquela", disse o presidente.

Leia também:
Barragem de rejeitos da Vale se rompe e casas são atingidas por lama em Brumadinho, MG
Defesa Civil Nacional vai a Brumadinho avaliar situação após rompimento de barragem
Vale admite possibilidade de vítimas em rompimento de barragem em MG
Agência Nacional de Água está monitorando rejeitos de barragem
A cidade está um 'pandemônio', relata moradora de Brumadinho

Ao ser indagado sobre o futuro da mineração diante do impacto ambiental da tragédia, Bolsonaro evitou listar culpados, mas disse que caberia à Vale "se antecipar a problemas".

"A administração da Vale do Rio Doce não tem nada a ver com o governo federal. Apenas cabe a nós a fiscalização por parte do Ibama, que é um órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, e buscar meios para se antecipar a problemas, mas esses meios partem primeiramente da empresa que executa a obra", afirmou.

Veja também

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU
Mundo

Pandemia reduziu migração mundial em 30%, aponta ONU

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus
Pandemia

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus