GUERRA NA UCRÂNIA

Bombardeio aéreo russo atinge prédios residenciais no centro da Ucrânia e deixa três mortos; vídeos

Onda de ataques ocorre depois que Ucrânia afirmou ter retomado várias cidades

Um morador vasculha os escombros de uma loja destruída após bombardeio russo em Kherson Um morador vasculha os escombros de uma loja destruída após bombardeio russo em Kherson  - Foto: Oleksii FILIPPOV / AFP

Leia também

• Refugiado ucraniano ganha 500.000 euros na loteria na Bélgica

• Secretário-geral da ONU 'preocupado' com acordo de grãos com a Ucrânia

• Putin visita hospital militar e condecora soldados feridos na Ucrânia

Ataques aéreos russos atingiram prédios residenciais na cidade ucraniana de Kryvy Rih, na manhã desta terça-feira (hora local), deixando três mortos e 25 feridos, segundo as autoridades. Ataques de drones e mísseis também foram relatados em Kiev e outros locais.

Um prédio residencial de cinco andares foi atingido por um dos projéteis, disse Oleksandr Vilkul, chefe da administração militar de Kryvy Rih, no Telegram.

"Ambulâncias estão prestando assistência, há vítimas em estado gravíssimo, provavelmente há pessoas sob os escombros", acrescentou.

 

A capital ucraniana e a cidade de Kharkov, no nordeste, também foram atacadas com mísseis e drones.

"De acordo com relatórios iniciais, os russos usaram mísseis de cruzeiro Kh-101/555", disse a administração militar de Kiev.

 

"Todos os alvos inimigos no espaço aéreo ao redor de Kiev foram detectados e destruídos com sucesso" e nenhuma vítima ou dano foi relatado na capital, acrescentou.

Em Kharkov, uma infraestrutura civil foi atingida por um ataque de drone, disse o prefeito da cidade, Igor Terejov.

A onda de ataques ocorre depois que a Ucrânia afirmou ter retomado várias cidades e feito progressos em sua contra-ofensiva às forças russas.

Veja também

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29
COP29

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina
Argentina

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina

Newsletter