Bombeiros israelenses ajudarão a combater incêndios na Amazônia

Os israelenses chegaram nesta quinta-feira (5) a Brasília e foram recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto

Os israelenses foram recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.Os israelenses foram recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. - Foto: Divulgação/FAB

Onze bombeiros recém-chegados de Israel vão auxiliar as equipes de brigadistas e militares brasileiros que estão combatendo incêndios na Amazônia. Os israelenses chegaram nesta quinta-feira (5) a Brasília e foram recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto.

Segundo o Ministério da Defesa, antes de seguir viagem para Porto Velho (RO), o grupo participou de uma primeira reunião no Centro de Operações Conjuntas, montado no prédio do ministério. A partir da sexta-feira (6), os israelenses participarão da Operação Verde Brasil, iniciativa que reúne representantes de vários órgãos de Estado para tentar apagar os incêndios que atingem a Amazônia Legal (região composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins).

Leia também: 
Fundo de R$ 2,6 bilhões da Lava Jato irá para Amazônia e educação
Procuradoria e AGU anunciam acordo de R$ 1 bi para Amazônia
Onyx vai propor prorrogação da GLO Ambiental na Amazônia 

De acordo com o ministério, os 11 bombeiros israelenses atuarão em áreas a serem definidas pelos responsáveis pela operação. O grupo permanecerá no país até o próximo dia 11. "Os israelenses trazem novas experiências e novas tecnologias. Eles são importantes para trocarmos informações. São bem-vindos para reforçar a nossa equipe", afirmou o Subchefe de Operações, vice-almirante Ralph Dias da Silveira Costa.

Ainda segundo o Ministério da Defesa, cerca de 100 militares do 2° Batalhão de Infantaria de Selva, sediado em Belém (PA), estão sendo deslocados para atuar no combate a incêndios e outros crimes ambientais, na região da Serra do Cachimbo, no sul do Pará. Metade deste efetivo partiu na tarde desta quinta-feira, em uma aeronave C-130, da Força Aérea Brasileira (FAB), com destino ao Campo de Provas Brigadeiro Veloso, uma base aérea militar localizada em Novo Progresso (PA), próximo a Serra do Cachimbo. O restante do grupo viaja na sexta-feira (06).

Os militares do Comando Conjunto Norte também prestaram apoio logístico ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e à Força Nacional para que garimpos ilegais de cassiterita fossem desativados, impedindo a exploração de minério na unidade de preservação ambiental Flora de Altamira, também no Estado do Pará. Todo o maquinário apreendido foi inutilizado.  

Veja também

Brasil tem 173,8 mil mortes e 6,38 milhões de casos
Covid-19

Brasil tem 173,8 mil mortes e 6,38 milhões de casos

Contratos de namoro: um documento para rejeitar a união estável
Relacionamento

Contratos de namoro: um documento para rejeitar a união estável