Noruega

Braço direito de Mário Frias ameaça mídias que compartilharam comercial de Papai Noel gay

Propaganda norueguesa de natal foi alvo de polêmica nas redes sociais

Beijo entre Noel e Harry na campanha de fim de ano dos correios da NoruegaBeijo entre Noel e Harry na campanha de fim de ano dos correios da Noruega - Foto: Reprodução/YouTube

O Secretário Nacional de Incentivo e Fomento à Cultura André Porciúncula e braço direito do Secretário de Cultura Mário Frias publicou na manhã desta sexta-feira em suas redes sociais uma ameaça às mídias que fizeram matérias sobre um comercial norueguês que mostra um Papai Noel gay.

Porciúncula, que é ex-capitão da Polícia Militar da Bahia, disse na postagem que irá fazer uma notícia-crime contra os veículos que compartilharam o comercial natalino da Noruega por desrespeitarem a fé cristã.

O comercial faz parte de uma campanha de Natal dos correios norugueses e foi feita para marcar os 50 anos do fim da lei que proibia o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo no país. No vídeo, que dura quase quatro minutos, a propaganda acompanha os encontros de um homem gay com o Papai Noel em sua casa na véspera do Natal ao longo dos anos. Campanhas anteriores da empresa também foram alvo de polêmicas. Em 2019, eles colocaram o pai de Jesus, José, como um carteiro em Bélem. Em 2020, eles brincaram com a derrota de Donald Trump nas eleições presidenciais, com uma campanha batizada de "Faça o Natal Grande de Novo".

Porciúncula foi nomeado pelo cargo em abril de 2020 e desde, então, coleciona polêmicas. Ele já apoio a rejeição da Ancine a um filme sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que já estava aprovado e se referiu a um chamou de "censura imaginária" o veto da Funarte a um festival de jazz.

Veja também

Ômicron: Espera por leito no Rio pode ultrapassar dois diasCOVID-19

Ômicron: Espera por leito no Rio pode ultrapassar dois dias

Olinda anuncia vacinação para crianças de 5 a 11 anos sem comorbidadesVacinação para crianças

Olinda anuncia vacinação para crianças de 5 a 11 anos sem comorbidades