Brasil supera 400 mil casos da Covid-19, com mais de 25 mil mortes

Nesta quarta-feira (27), foram notificados mais 20.599 diagnósticos positivos para o Sars-CoV-2 e 1.086 mortes

CoronavírusCoronavírus - Foto: Divulgação

O Brasil ultrapassou a marca dos 400 mil casos oficialmente notificados da Covid-19. O boletim divulgado na noite desta quarta-feira (27), registra 20.599 novos casos diagnosticados, subindo o total de pessoas já expostas ao novo coronavírus no País para 411.821. Desse total, estima-se que 166.647 (40,5%) pessoas já tenham se recuperado, enquanto 219.576 (53,3%) são casos ativos em acompanhamento. Nesta quarta, foram adicionadas ainda mais 1.086 mortes, fazendo o número de vítimas fatais da Covid-19 no Brasil passar a 25.598. Há, no momento, outros 4.108 óbitos em investigação por quadros suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

O recorde diário de mortes registradas em um dia no Brasil é da última quinta-feira (21), com 1.188 novos óbitos. De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), o Brasil é o segundo país com mais casos da doença no mundo. Em números absolutos, fica atrás apenas dos Estados Unidos, que têm 1,6 milhão de casos.

Em número de mortes, o Brasil é o sexto país mais afetado. Os cinco primeiros países com mais mortes são EUA (100 mil), Reino Unido (37 mil), Itália (33 mil), França (28 mil) e Espanha (27 mil).

Leia também:
Alpargatas doa R$ 5 milhões a iniciativa de combate à Covid-19
OMS desiste de testar cloroquina em tratamento de Covid-19


No meio de maio, quando o Instituto de Métrica da Universidade de Washington divulgou pela primeira vez dados sobre o Brasil, a previsão era de que 88.305 pessoas morressem por Covid-19 até 4 de agosto no País.

Na segunda (25), porém, após o crescimento vertiginoso de casos e mortes em território brasileiro nas últimas semanas, e o País ter passado a ser o epicentro da pandemia, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o instituto norte-americano atualizou os números para pior.

Boletim do Ministério da Saúde do dia 27 de maio

Boletim do Ministério da Saúde do dia 27 de maio - Crédito: Divulgação/Ministério da Saúde


 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Atraso na entrega de vacinas Sputnik V da Rússia gera incertezes na Argentina
América Latina

Atraso na entrega de vacinas Sputnik V da Rússia gera incertezes na Argentina

Segunda dose da vacina anticovid-19 da Moderna pode ser aplicada até seis semanas
Vacina

Segunda dose da vacina anticovid-19 da Moderna pode ser aplicada até seis semanas