ANA autoriza ampliação de limite de vazão da bacia do São Francisco

Reservatórios estão voltando a níveis anteriores à crise hídrica

A Agência Nacional de Águas (ANA) publicou  nesta terça (30) resolução ampliando o limite de vazão dos reservatórios da Bacia do Rio São Francisco. A Agência Nacional de Águas (ANA) publicou nesta terça (30) resolução ampliando o limite de vazão dos reservatórios da Bacia do Rio São Francisco.  - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A Agência Nacional de Águas (ANA) publicou nesta terça (30) resolução ampliando o limite de vazão dos reservatórios da Bacia do Rio São Francisco. O limite havia sido reduzido em razão desde o início da crise hídrica em 2012. Com a ampliação da vazão, que começa a valer a partir desta quarta (1º), será possível ampliar a geração de energia nas usinas hidrelétricas construídas ao longo da bacia do São Francisco.

A decisão foi tomada após a constatação de que os reservatórios voltaram aos níveis do período pré-crise hídrica, em 2012, e aplica-se aos reservatórios do sistema hídrico do Rio São Francisco, formado pelos reservatórios de Três Marias (MG); Sobradinho (BA); Itaparica (BA/PE), também conhecida como Luiz Gonzaga; Moxotó (AL), Paulo Afonso I, II, III e IV (BA); e Xingó (AL/SE).

Leia também:
Transposição do Rio São Francisco: governo discute custeio
Transposição do Rio São Francisco chega em Cabrobó e Terra Nova


Atualmente, o volume somado dos reservatórios está em 57%. A expectativa é que alcance 60% nas próximas semanas, mesmo percentual de janeiro de 2012. Pelas regras, definidas em uma resolução da ANA de 2017, a operação no reservatório de Sobradinho e Xingó não sofrerá restrição de vazão quando o volume estiver na faixa normal, acima de 60% da capacidade.

Na faixa de atenção, abaixo dos 60%, Sobradinho terá a restrição diminuída, com liberação mínima média de 800 metros cúbicos por segundo (m³/s), acréscimo de 250 m³/s em relação à menor vazão registrada, em 2017, de 550 m³/s. Atualmente, o reservatório opera com 48,76% da capacidade. A mesma regra vale para Xingó.

Para o reservatório de Três Marias, a forma de operação será parecida e sem distinção de entre período seco e chuvoso. Tanto na faixa normal (acima de 60% do volume útil) quanto de atenção (acima de 30% até 60%, com vazão mínima média por dia de 150 m³/s. Atualmente, Três Marias opera com cerca de 80% do volume útil e começará a operar na faixa normal a partir de hoje.

De acordo com a ANA, para o reservatório de Itaparica (Luiz Gonzaga), a operação não será por faixas, mas terá relação com os volumes registrados em Sobradinho, o maior da bacia do São Francisco.

Pelas regras, o reservatório deverá ter um armazenamento mínimo de 30% de seu volume útil quando Sobradinho estiver nas faixas normal ou de atenção. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o reservatório opera atualmente com 32,52% da capacidade.

Segundo a ANA, com as novas condições de operação do sistema hídrico do Rio São Francisco e com a melhora na situação da bacia hidrográfica, o acompanhamento da situação do Velho Chico terá uma mudança. A Sala de Crise do Rio São Francisco será desfeita e será instalada a Sala de Acompanhamento do Sistema Hídrico do São Francisco. A primeira reunião ocorrerá na próxima segunda-feira (6).

Veja também

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus
Pandemia

Familiares buscam cilindros de oxigênio salvar pacientes em Manaus

Estudantes podem conferir locais de prova do Enem Digital
Enem 2020

Estudantes podem conferir locais de prova do Enem Digital