Após criticar saída de Nardoni da prisão, padre Fábio de Melo deixa rede social

Condenado pela morte da filha, em 2008, Nardoni deixou a penitenciária 2 de Tremembé (147 km de SP) na manhã dessa quinta (8)

Padre Fábio de MeloPadre Fábio de Melo - Foto: Divulgação

Em postagem realizada na manhã desta sexta-feira (9), o padre Fábio de Melo avisou que deixará de usar o Twitter.

"Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável pra mim. Obrigado!", diz ele no texto.

A decisão vem um dia depois de Melo criticar a liberação de Alexandre Nardoni, 41, da prisão por conta do benefício da saída temporária do Dia dos Pais. Condenado pela morte da filha, em 2008, o preso deixou a penitenciária 2 de Tremembé (147 km de SP) na manhã desta quinta (8).

Leia também:
Condenado pela morte da filha, Nardoni sai de presídio para o Dia dos Pais
Padre Fábio de Melo diz que pode dar uma pausa na carreira de cantor

Em diversas postagens que fez para avisar sua saída da rede social, o padre explica que, desde que expressou sua indignação com a saída de Nardoni, passou a ser "acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis". "Só reitero: já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade da ressocialização dos presos."

Melo também afirma que nunca teve dificuldade para lidar com as diferenças mas que "a dialética, um dos movimentos que nos permitem acesso à verdade, vem sendo gradativamente substituída por acusações e julgamentos".

Os seguidores lamentaram a decisão. "Faça o melhor para sua saúde. É fundamental que nos afastemos do que suga", diz um deles. Outros ainda ressaltaram não concordar com a atitude do padre.

Síndrome do pânico
Padre Fábio de Melo costuma alertar seus fãs e falar sempre que pode sobre os perigos da depressão e doenças psicológicas. Ele já relatou, em diversas ocasiões, ter enfrentado síndrome do pânico e outros transtornos decorrentes da doença.

"Às vezes eu me pegava me escondendo debaixo da cama tamanho era o pavor que eu sentia", disse o religioso a Poliana Abritta, apresentadora do "Fantástico", da Globo, em 2017. Na ocasião, relatou que chegou até a pensar em deixar o sacerdócio.

Veja também

IBGE prepara realização do Censo em 2022 para cumprir decisão do STF
Censo

IBGE prepara realização do Censo em 2022 para cumprir decisão do STF

Ernesto diz que China e Índia são países que mais tem cooperado no combate a pandemia
CPI da Covid

Ernesto diz que China e Índia são países que mais tem cooperado no combate a pandemia