Após motim, penitenciária tem fuga em massa de presos em SP

Superlotado, o local abrigava 1.864 detentos no regime semiaberto, para uma capacidade de 1.080

DominaçãoDominação - Foto: Divulgação

Após um motim, o CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Jardinópolis (a 329 km de São Paulo) registrou fuga em massa de detentos na manhã desta quinta-feira (29). Ao menos 200 presidiários deixaram o local, segundo relatos de policiais à reportagem.

Leia Mais
Fuga de presos em massa deixa vizinhos em pânico em São Paulo 

De acordo com a Polícia Militar, a fuga ocorreu após os detentos atearem fogo em uma das alas do centro de progressão. Superlotado, o local abrigava na última terça (27) 1.864 detentos no regime semiaberto, para uma capacidade de 1.080. Não há relato sobre feridos.

O motim e a fuga em massa assustaram motoristas que trafegam pela rodovia Candido Portinari, que passa em frente ao CPP. Os presos fugiram em meio às lavouras de cana-de-açúcar existentes no entorno da prisão. Também estão sendo feitas buscas no rio Pardo, próximo ao CPP.

Ao menos 50 já foram recapturados, ainda segundo policiais que participam da ação relataram. O Corpo de Bombeiros também foi acionado para conter o fogo no local e o helicóptero Águia, da PM, está sendo usado na busca aos foragidos.

Inaugurado há exatos três anos, o CPP é uma das 21 prisões inauguradas nos últimos seis anos que apresentam superlotação.

Segundo a SAP (Secretaria de Estado da Administração Penitenciária) informou, por meio de sua assessoria, o tumulto começou durante revista de rotina no CPP. A secretaria afirmou que não houve reféns e que a situação foi controlada pelo grupo de intervenção rápida, com apoio da PM. Os presos recapturados foram encaminhados à Penitenciária de Ribeirão.

Veja também

Brasil registra 497 mortes e 24.858 casos de Covid-19 nas últimas 24h
Coronavírus

Brasil registra 497 mortes e 24.858 casos de Covid-19 nas últimas 24h

Nova diretoria da Anvisa reúne militar bolsonarista, apadrinhado do centrão e defensora da cloroquin
Anvisa

Nova diretoria da Anvisa reúne militar bolsonarista, apadrinhado do centrão e defensora da cloroquin