Após uma semana, 121 não foram recapturados do Centro de Progressão Penitenciária

A fuga, no último dia 29, gerou pânico em moradores do distrito de Jurucê, distante três quilômetros do Centro de Progressão Penitenciária, que abrigava 1.861 presos no regime semiaberto - para uma capacidade de 1.080.

Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE) Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE)  - Foto: Divulgação

 

RIBEIRÃO PRETO (Folhapress) - Uma semana após a fuga em massa de detentos de um presídio em Jardinópolis (a 329 km de São Paulo), 121 presos ainda estão soltos nas ruas. A fuga, no último dia 29, gerou pânico em moradores do distrito de Jurucê, distante três quilômetros do CPP (Centro de Progressão Penitenciária), que abrigava 1.861 presos no regime semiaberto - para uma capacidade de 1.080.
A SAP (Secretaria de Estado da Administração Penitenciária) informou terem sido recapturados 349 dos 470 presos que fugiram. O motim não teve reféns ou mortos dentro da prisão, mas dois presos morreram. A fuga em massa ocorreu após os detentos atearem fogo na oficina da marcenaria - as chamas se espalharam para um pavilhão da cadeia. A superlotação e a suspensão de visitas foram os motivos alegados por familiares de detentos para a rebelião que antecedeu a fuga.

 

Veja também

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes
boletim

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Vendas de imóveis batem novo recorde em agosto com alta de 64%
imóveis

Vendas de imóveis batem novo recorde em agosto com alta de 64%