Bahia investiga doença misteriosa que pode ter levado duas pessoas à morte

Um dos sintomas da doença é a urina escura, dores musculares e sudorese

Sede da Secretaria da Fazenda de PernambucoSede da Secretaria da Fazenda de Pernambuco - Foto: Divulgação/Sefaz-PE

Pelo menos quatro laboratórios estão envolvidos nas investigações sobre uma doença ainda desconhecida registrada na Bahia, que pode ter levado duas pessoa à morte. Foram notificados 52 casos suspeitos do quadro, dos quais 51 foram na capital Salvador e um no município de Vera Cruz. As notificações ocorreram entre 14 de dezembro e 5 de janeiro.

Caracterizada por uma mialgia aguda, que é uma dor intensa nos músculos, a doença tem como sintoma dores musculares súbitas, dores ao toque leve no corpo, urina escura cor de café, dores articulares e sudorese. Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, Maria Aparecida Figueiredo, a origem da doença ainda não foi descoberta. "Existem casos parecidos registrados em outros países, mas não descobriram a causa", disse à Agência Brasil.

Investigação

Foram enviadas amostras de fezes dos pacientes a um laboratório da Fiocruz (RJ) para identificar a presença de enterovírus. Ao laboratório Adolfo Lutz (SP), foram encaminhadas amostras de peixes in natura para a investigação de metais pesados. Amostras de peixes consumidos por pacientes também serão enviadas a um laboratório no Alabama, nos Estados Unidos, para verificar a presença de toxinas. O Laboratório Central da Bahia também faz parte das investigações.

Em nota, o Ministério da Saúde disse que até o momento não existem resultados conclusivos, nem informações de casos parecidos em outros estados. A pasta informou que está investigando os casos em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e as secretarias municipais de Salvador e Vera Cruz.

Veja também

'Falta compostura ao presidente', diz presidente da ABI sobre ataque de Bolsonaro à imprensa
Imprensa

'Falta compostura ao presidente', diz presidente da ABI sobre ataque de Bolsonaro à imprensa

Unicef: 5,5 milhões estavam sem atividades escolares em outubro
Educação

Unicef: 5,5 milhões estavam sem atividades escolares em outubro